Meus Discos e Livros e Tudo o Mais!: Janeiro 2012

30 de janeiro de 2012

Desafio Realmente Desafiante (Janeiro): ‘Três Metros Acima do Céu – Federico Moccia’








Três Metros Acima do Céu
(Tre Metri Sopra il Cielo)
Federico Moccia








Se há um autor que sempre me foi muito bem recomendado esse autor é o italiano Federico Moccia. Então, usando o desafio como desculpa, resolvi finalmente dar uma chance a ele. Dentre seus livros já publicados no Brasil tinha algumas opções, mas, como eu sou um tanto neurótica, gosto de começar pelo primeiro livro lançado pelos autores, então fui atrás do Três Metros Acima do Céu, que é seu romance de estreia, e conta a história de Step e Babi.

O que você faria se enquanto seu pai estivesse te levando para a escola um cara parasse de moto ao lado do carro no sinal vermelho e com um sorriso dissesse ser a solução para os seus problemas? Babi o dispensa dizendo não ter problema algum e está certa de que nunca mais vai se encontrar com aquele sujeito metido. Só que ela está completamente enganada.

Babi é a típica patricinha, certinha, boa aluna, superprotegida pelos pais. Step o típico bad boy, com sua jaqueta de couro, óculos escuros, colarinho levantado, cigarro na boca e sua moto envenenada. Qualquer um diria que eles não têm nada em comum. E não têm mesmo. Mas isso não os impede de se encantar um com o outro e se apaixonarem intensamente.


"O sol continua a subir no céu, é uma linda manhã. Ela está indo para o colégio, ele ainda não foi dormir depois da noitada de ontem. Um dia normal, como qualquer outro. Mas o sinal faz com que fiquem emparelhados. E aí o dia deixa de ser como os demais."



Entre insuportáveis aulas de latim, pegas de moto, amigos de toda a vida, fugas no meio da noite, pichações, penetras em festas, brigas, narizes quebrados, perseguições pela polícia, olhos vendados, pequenos furtos, beijos demorados, risadas e lágrimas, acompanhamos como tudo muda na vida de Step e Babi a partir do momento em que se conhecem.

Eu gostei bastante desse livro. Como é comum quando começamos a ler um autor novo, estranhei um pouco o começo da leitura, fiquei um pouco confusa com a constante troca de ponto de vista da narrativa em terceira pessoa, mas uma vez que me acostumei com o estilo do autor, me empolguei mais e mais. Na garupa da moto do Step, em suas desvairadas corridas, conhecemos um pouco das ruas de Roma e dos pontos de encontro de sua turma. Na maioria dos livros que leio a história se passa nos EUA, na Inglaterra ou na Irlanda, então foi extremamente prazeroso dar essa voltinha pela Itália.

Tenho uma queda pelos bad boys da literatura, mas o Step não tem só o jeito charmoso de garoto mau. Ele começa o livro até marginal demais pro meu gosto. Claro que, com o passar da leitura descobrimos o porquê de ele agir dessa forma, da violência de seus atos, mas até entendê-lo, as atitudes dele me incomodaram um pouco. Mas não pensem que por causa disso eu não gostei dele. Pelo contrário, ele se redime lindamente e acabou me conquistando! Step é abusado. Step é violento e impulsivo, não pensa antes de agir. A gente até pode ter raiva ou se irritar com ele no começo da leitura (como eu fiz), mas é impossível não terminar o livro completamente apaixonadas por esse complexo personagem...

Já da Babi eu desenvolvi uma certa birra, mas não posso explicar o motivo sem soltar alguns spoilers. Outros a que me apeguei mesmo sem querer foram os amigos "marginais" do Step, principalmente seu melhor amigo folgado Pollo, e a irmã deslumbrada da Babi, Daniela.

Só sei que terminei o livro com o coração um tanto apertado. A história do Step tem uma continuação, o já publicado no Brasil “Sou Louco por Você”. Assim que terminei de ler o “Três Metros” tive vontade de ir imediatamente à uma livraria para comprar a sequência e só não fiz isso porque estava no meio da madrugada...

Como outros de seus livros, Três Metros Acima do Céu ganhou uma versão cinematográfica, com roteiro do próprio autor e eu já estou alucinada atrás desse filme!

A conclusão é que este foi o primeiro livro do Moccia que li mas que com certeza não será o último!



Três Metros Acima do Céu (Tre Metri Sopra il Cielo)
Sou Louco por Você (Ho Voglia di Te)




***




25 de janeiro de 2012

'Em Chamas - Suzanne Collins'







Em Chamas
(Catching Fire)
Suzanne Collins





A Capital não ficou nada feliz com a atitude de Katniss durante os Jogos Vorazes, e isso não vai sair barato, afinal, mesmo inconscientemente, ela despertou nos Distritos um sentimento que a Capital quer, acima de tudo, abafar. Ela terá que lidar com as consequências dos seus atos, com suas cicatrizes emocionais – já que as físicas foram removidas pela Capital – e com as pessoas que ela acabou magoando, mesmo sem intenção. Ainda, ela descobre que o pesadelo que ela imaginou que tivesse acabado está só começando...

Em Chamas é o segundo livro da trilogia Jogos Vorazes, da americana Suzanne Collins, e nessa distopia encontramos uma Capital que controla com mão de ferro uma nação e seus 12 Distritos, e, para lembrá-los desse controle promove anualmente uma espécie de reality show em que cada Distrito entrega dois tributos, um garoto e uma garota entre 12 e 18 anos, que serão colocados em uma gigantesca Arena a céu aberto onde devem lutar uns com os outros até a morte. Esse jogo sádico é um evento anual e obrigatório e todos os Distritos devem participar, assistir, e tratar como uma festividade enquanto testemunham a morte de seus jovens.

Esse segundo volume trata das repercussões de tudo o que aconteceu no primeiro livro e de como uma simples decisão, ou uma pequena atitude, pode influenciar uma população que estava apenas à espera de uma fagulha de esperança para agir. Sofri com a Katniss, seus conflitos internos e sua dedicação àqueles que ela ama. Sofri horrores com o Peeta, e fiquei completamente apaixonada por ele, não tem mais volta! Se em Jogos Vorazes eu cheguei a duvidar dele, aqui ele ganha meu amor incondicional. Nesse livro Gale, o melhor amigo de Katniss, seu companheiro inseparável de caça até ela ir para os Jogos Vorazes, tem um papel mais ativo, e eu até começo a entender aquelas que se apaixonaram por ele. Mas meu coração ainda é do Peeta.

É um livro tenso. E intenso!
Acontece tanta coisa que eu juro que em alguns momentos eu até esquecia de respirar. Traz mais ação que o anterior, e é impossível não nos sentirmos como habitantes de Panem e com ódio da Capital, suas atrocidades e de seu maior representante. Novos personagens são introduzidos, tão complexos e bem desenvolvidos quanto os já conhecidos. De alguns gostamos de cara. De outros, acompanhando os sentimentos da Katniss – até porque, com a narrativa em primeira pessoa, são as impressões dela que a gente conhece – começamos com o pé atrás, sem saber se podemos ou não confiar. Mas também há casos de ódio à primeira vista!

Lógico que eu fiquei madrugada adentro lendo até acabar. Lógico que depois eu não consegui dormir de tão tensa que eu fiquei. E confesso que estou com medo do que vou encontrar no último livro da série. Recomendado? Extremamente!





Jogos Vorazes #1 – Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Jogos Vorazes #2 – Em Chamas (Catching Fire)
Jogos Vorazes #3 – A Esperança (Mockingjay)



***

20 de janeiro de 2012

Primeiras Linhas # 10: Julgamento Mortal - J.D. Robb

*Essa é uma coluna quinzenal em que eu trago as primeiras linhas, as primeiras frases de um livro qualquer.*


Eu já contei isso aqui mais de uma vez, mas vou contar de novo: a Série Mortal - escrita pela Nora Roberts sob o pseudônimo J.D. Robb - é uma das minhas séries literárias preferidas. É tão boa que mesmo com mais de 30 livros publicados, 17 deles no Brasil, eu não me canso dela. Tudo bem que eu ainda nem li todos os lançados no Brasil, mas mesmo assim, acho difícil que um dia vá me cansar da Eve e do Roarke!

As Primeiras Linhas que escolhi dentre os muitos livros da série são as do Julgamento Mortal, o 11° livro. Para quem não conhece, dá para ter um gostinho do que esperar dessa série.


Ela estava em pé junto do bar da boate Purgatório e analisava a morte. O sangue em grandes poças, a ferocidade do seu júbilo. A morte chegara ali como a pirraça de uma criança, cheia de calor, paixão e descuidada brutalidade.
Assassinato quase nunca era assunto limpo. Não importa se ardilosamente calculado ou
selvagem e impulsivo, ele costumava deixar uma sujeira imensa para outros limparem.
O trabalho dela era avançar por entre os destroços do crime, recolher os pedaços e descobrir onde eles se encaixavam, a fim de remontar a imagem da vida que tinha sido roubada e, por meio dessa imagem, chegar ao rosto do assassino.
Naquele momento, as primeiras horas em um dia da hesitante primavera de 2059, suas botas esmagavam um mar de vidro quebrado. Os olhos dela, castanhos e objetivos, analisavam toda a cena: vidros estilhaçados, garrafas quebradas, pedaços de madeira lascada. As paredes foram atingidas, as cabines para privacidade dos sócios tinham sido destruídas ou depredadas. O couro caríssimo e o tecido nobre que revestiam os bancos altos do bar, bem como os sofisticados grupos estofados, tinham sido rasgados até se transformarem em trapos coloridos.
O que antes fora um sofisticado clube de striptease virara uma pilha indistinta de lixo caro.
O que antes fora um homem estava caído atrás do balcão em curva. Agora era uma vítima empapada no próprio sangue.
A tenente Eve Dallas se agachou ao lado do cadáver. Ela era policial e a partir
daquele instante a vítima lhe pertencia
.



***

13 de janeiro de 2012

'Como Treinar o Seu Dragão - Cressida Cowell'






Como Treinar o Seu Dragão
(How to Train Your Dragon)
Soluço Spantosicus Strondus III

Traduzido do Antigo Norueguês por Cressida Cowell








Soluço Spantosicus Strondus III foi um grande Herói Viking. Mas, quando criança, era apenas um menino magrinho, sardento, de cabelo ruivo espetado que, apesar de ser filho e herdeiro de Stoico, o Imenso, Chefe da Tribo dos Hooligans Cabeludos, não era respeitado por ninguém. Nunca imaginaria um dia se tornar herói. Aos 10 anos e meio de idade, Soluço – e os demais garotos da Tribo – deveriam passar por uma Iniciação cuja primeira etapa consistia em capturar um dragão, depois treiná-lo. A capacidade dos garotos como "treinadores de dragões" seria testada nas festividades do Dia de Thor. Como o objetivo era manter apenas os mais fortes, a consequência para aqueles que falhassem era o exílio. Simples assim, sem qualquer pressão, rs.

Soluço já conhecia um pouco sobre dragões só de observá-los (escondido, claro), e tem um segredo: ele fala dragonês e consegue se comunicar com os dragões na língua deles. É um segredo pois o idioma é proibido, por ordem de Stoico, que considera os dragões criaturas inferiores, e só devemos falar com eles gritando, senão eles ficam muito convencidos.

No dia da captura, a maioria dos garotos especulava sobre que tipo de dragão queria: se o Gronkel, se o temido Pesadelo Monstruoso... Soluço só queria sair da caverna onde os filhotes de dragão hibernavam o mais rápido possível. É óbvio que nada sai como planejado e, tentando fugir da caverna, Soluço acaba pegando o primeiro dragão que surge na sua frente. E é o mais comum dos Dragões Comuns que ele já viu. A única coisa de excepcional nele é que ele é pequeno. Bem pequeno. E não tem nenhum dente, o que é mais um motivo para fazer de Soluço motivo de piada, além de proporcionar ao dragão um nome. Banguela. Além de ser extraordinariamente pequeno e não ter dentes, Banguela é o mais malcriado dos dragões. Não obedece quando Soluço grita com ele – a regra de ouro no treinamento de dragões – não obedece quando Soluço tenta conversar, o mima ou é educado com ele. Banguela não obedece. E ponto. Com um dragão que não obedece a seus comandos, sabe-se lá como Soluço passará pelo teste no Dia de Thor...

Numa leitura rápida e leve, Cressida Cowell nos leva para uma Tribo de Vikings, mas não são os grandes e temidos guerreiros quem acompanhamos no decorrer do livro, mas um grupo de vikings em formação, principalmente Soluço, Perna-de-peixe, Bafoca de Maluquício, Espinha-de-Porco, seu já inimigo Melequento, além de seus respectivos dragões. Adorei todas as ilustrações que permeiam o livro e me fazem acreditar tratar-se realmente das memórias perdidas do Soluço garoto e que a Cressida apenas as traduziu do Norueguês Antigo. Através das memórias de Soluço aprendemos que dragões são egoístas, desalmados, ingratos, cruéis e impiedosos. Mas quem sabe se tratá-los bem, contar piadas (eles adoram piadas!) e não gritar...

O melhor é o livro "original" "Como treinar o seu dragão", escrito pelo Professor Tosco Traste, e a regra de ouro do treinamento de um dragão. E esse livro tem tudo, dedicatória, copyright, foto e informações sobre o autor, elogios à obra na contracapa... rss

Como Treinar o Seu Dragão é o primeiro livro da série infanto-juvenil de mesmo nome da autora inglesa Cressida Cowell, que tem atualmente 9 livros, 7 deles já publicados no Brasil. Gostei muito da história – como sabia que gostaria – e já estou empolgada para ler os próximos livros e conhecer mais das aventuras do Soluço.

Como a capa já diz, o livro inspirou um filme de animação, que tem o mesmo nome. Mas ó, o filme é livremente inspirado, bem livremente mesmo, porque as histórias são totalmente diferentes. Mas gostei do filme também, é bem bonitinho!

E não esqueça: o Jantar ainda canta.




CTSD #1: Como Treinar o Seu Dragão (How to Train Your Dragon)
CTSD #2: Como Ser um Pirata (How to Be a Pirate)
CTSD #3: Como Falar Dragonês (How to Speak Dragonese)
CTSD #4: Como Quebrar a Maldição de um Dragão (How to Cheat a Dragon’s Curse)
CTSD #5: Como Mudar uma Historia de Dragão (How To Twist a Dragon’s Tale)
CTSD #6: Guia do Herói para Vencer Dragões Mortais (A Hero’s Guide to Deadly Dragons)
CTSD #7: Como Navegar em uma Tempestade de Dragão (How to Ride a Dragon’s Storm)
CTSD #8: (How to Break a Dragon’s Heart)
ainda não publicado no Brasil
CTSD #9: (How to Steal a Dragon’s Sword) ainda não publicado no Brasil



***

10 de janeiro de 2012

'Jogos Vorazes - Suzanne Collins'







Jogos Vorazes
(The Hunger Games)
Suzanne Collins








Nos destroços do que uma vez foi a América do Norte surgiu Panem, uma nação formada por uma Capital e 13 Distritos que sobreviveram a desastres naturais e à guerra. Contudo, tais Distritos se rebelaram contra a Capital e 12 deles foram derrotados enquanto o 13° foi totalmente destruído. Como punição – e para demonstrar seu controle sobre os Distritos, lembrando-os constantemente que eles nunca conseguiriam sair vencedores em uma rebelião contra a Capital – foram instituídos os Jogos Vorazes, uma espécie de reality show em que cada Distrito entrega dois tributos, um garoto e uma garota entre 12 e 18 anos, que serão colocados em uma gigantesca Arena a céu aberto onde devem lutar uns com os outros até a morte. Disfarçada de entretenimento, essa tática de intimidação do governo é um evento anual e obrigatório, todos os Distritos devem participar, assistir, e tratar como se fosse uma festividade o que na verdade é um jogo sádico que só termina quando há apenas um sobrevivente.

Katniss Everdeen tem 16 anos e mora no Distrito 12, um dos mais miseráveis, com sua mãe e sua irmã Prim. Seu pai morreu há alguns anos em uma explosão na mina de Carvão, a principal atividade do Distrito, e desde então Katniss é a responsável pelo sustento de sua família. Apesar de ser estritamente proibido, ela constantemente ultrapassa a cerca que limita o Distrito e vai para a floresta caçar, como seu pai lhe ensinou. Lá ela conhece Gale, outro garoto que perdeu o pai na explosão na mina e ficou responsável pelo sustento da família. E ele vira seu melhor amigo no mundo.

Chegado o dia do sorteio dos tributos de cada Distrito para os Jogos Vorazes, a garota sorteada é Prim. Katniss não suporta a ideia de sua irmã de apenas 12 anos tomar parte de tamanha violência e se voluntaria a ir em seu lugar. O garoto sorteado como tributo é Peeta, o filho do padeiro, o que perturba Katniss pois, apesar de ele não ser exatamente seu amigo, ela é grata a ele por algo muito importante. Agora, além de tudo, ela se sente em dívida com alguém que será seu adversário nesse jogo de vida ou morte.

As pessoas elogiavam, as pessoas recomendavam, as pessoas insistiam que eu lesse. Agora que eu (finalmente) terminei o primeiro livro vou fazer o que? Elogiar. Recomendar. Insistir que quem ainda não leu, leia! É tudo isso mesmo que as pessoas falam. Eu tinha muita vontade de ler essa série, mas sempre acabava deixando pra depois. Até que eu decidi que ia esperar todos os livros serem lançados. O lado bom? Nada da aflição da espera!

Jogos Vorazes é o primeiro livro da trilogia de mesmo nome da autora americana Suzanne Collins. Nessa distopia que trata de um futuro não determinado, temos um país em que a Capital controla os demais Distritos com regras rígidas e uma população totalmente subjugada pelo medo e pela fome. Enquanto os habitantes da Capital são pessoas alegres, coloridas, fúteis, os que habitam a maioria dos Distritos tem que lidar diariamente com a fome e condições precárias de sobrevivência. A começar pela protagonista, Katniss, que narra a história em primeira pessoa, temos personagens fortes, que lutam para sobreviver, mas ainda assim conseguem manter a humanidade e a compaixão. Quando chegamos à arena e aos Jogos propriamente ditos, é impossível não ficar segurando o fôlego a todo o tempo, esperando o que vai acontecer em seguida. O fascínio dos cidadãos da Capital pelos Jogos Vorazes é facilmente explicado trazendo à tona a política do Pão e Circo, lá do Império Romano - não que qualquer cidadão de Panem saiba disso.

Queria comentar do Peeta, o garoto do pão, mas, para evitar dar qualquer spoiler, só digo que ele já é um daqueles personagens que eu terminei o livro querendo botar no colo...

Sem entregar nada, se eu puder dar um único conselho pra quem ainda vai ler seria: não se apegue a nenhum personagem. Você vai sofrer. Ponto. Me deram esse conselho mas eu não consegui seguir, e eu sofri, e eu chorei. E já que estou na vibe de dar conselhos, aí vai mais um: leia antes da estreia do filme baseado nele, que está prevista para março desse ano. Eu já estou ansiosa!

E que a sorte esteja sempre a seu favor!




Jogos Vorazes #1 – Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Jogos Vorazes #2 – Em Chamas (Catching Fire)
Jogos Vorazes #3 – A Esperança (Mockingjay)



***

2 de janeiro de 2012

E 2011 caiu do galho, deu dois suspiros...




O ano de 2011 foi bem bagunçado pra mim. Pessoalmente, profissionalmente... Fiquei meio em crise com minha profissão, minha cachorrinha que já estava comigo há mais de 7 anos fugiu e, mesmo meses depois, não apareceu mas não posso falar nela que eu choro, trabalhei demais, mudei de casa no início do ano e fiquei ERAS sem internet, o que fez com que o blog passasse um bom tempo capengando, meio abandonado, mas também me permitiu ler muito! Entre lidos e relidos, e-books e tradicionais, de livraria e uma pancada dos de banca, fechei 140 livros lidos em 2011!

Com tantas leituras, descobri coisas muito boas esse ano. Porque existem aqueles livros que você gosta, aqueles que você gosta muito e aqueles pelos quais você se apaixona. Esse ano posso dizer que me apaixonei algumas vezes. Já contei algumas dessas paixões quando fiz o Top Piriguetagem Literária. E se 2010 foi o ano em que eu conheci o Patch *_*, 2011 foi o ano que eu conheci o Dimitri. E o Adrian. E o Poe. Em resumo foi o ano em que conheci e me apaixonei pelas séries Academia de Vampiro - Vampire Academy, da Richelle Mead e Sociedade Secreta, da Diana Peterfreund (que ainda preciso terminar de resenhar!). A primeira fui com altas expectativas já que os fãs dela não poupam elogios (todos merecidos), já a segunda fui sem expectativa alguma e me impressionei com o quanto gostei. Sem falar que lendo o primeiro livro da Sociedade Secreta eu nunca iria imaginar quem seria meu crush literário. E não é que ele acabou virando um dos melhores do ano?

Essas duas séries que eu escolhi destacar tem em comum, ainda, o fato de que as descobri tardiamente, com alguns dos livros já lançados, mas não todos, li os livros lançados seguidos, um atrás do outro, me descabelei um pouco e não resisti e li os livros restantes em inglês. E não me arrependi porque as séries são perfeitas! *Fica a Dica*

Agora 2012 começa e eu me pergunto o que descobrirei esse ano, por quais livros/séries/personagens me apaixonarei? Tenho alguns bons candidatos já me esperando na estante!

Boas leituras em 2012 para todos nós! ;D




***