Meus Discos e Livros e Tudo o Mais!: 2010

27 de dezembro de 2010

'Fallen - Lauren Kate'






Fallen
(Fallen)
Lauren Kate






Após um trágico acidente que custou a vida de seu namoradinho Trevor, acidente este que todos acreditam que ela esteja envolvida, Luce é mandada para o deprimente e sombrio reformatório Sword & Cross. Lá encontra vários tipos de pessoas, a maioria adolescentes problemáticos, como ela. Todos eram obrigados a usar somente roupas pretas, mas entre todos os “alunos”, seu olhar é atraído para um cachecol vermelho e seu lindo dono. O misterioso Daniel Grigori. Ela sente uma estranha ligação com ele, como se já o conhecesse antes, sente-se atraída, apesar de ele ora a ignorar, ora a desprezar completamente. Por outro lado, havia o gentil Cam e seus desconcertantes olhos verdes. Sua simples presença emanava algo que fazia com que Luce se sentisse bem a seu lado. Apesar de todas as coisas que estavam acontecendo em sua vida, a maior preocupação dela não era o fato de estar presa em um lugar onde não são permitidos sequer telefones celulares e seus passos são vigiados constantemente pelos 'vermelhos' – as câmeras de segurança – ou a estranha atração que ela sentia por esses dois caras tão diferentes, mas sim as sombras que ela via desde criança, que sempre lhe causavam um arrepio na espinha e geralmente estavam por perto quando algo ruim acontecia. Elas também apareceram no reformatório e dessa vez, pareciam cada vez mais fortes...

Esse é um livro controverso. Primeiro, vi muitas pessoas dizendo que gostaram muito, depois, muitas pessoas dizendo que odiaram. Resolvi tirar minhas próprias conclusões, mas preferi esperar um pouco até tirar da cabeça tudo o que tinha lido sobre ele. E foi assim que esse livro ficou meses na minha estante, olhando pra mim, desde que o comprei na Bienal do Livro de São Paulo, em agosto. Decidida a não deixar o ano acabar antes de lê-lo, encarei a leitura e já dou logo meu veredicto: eu realmente gostei. Pode ser que a chave tenha sido a minha total falta de expectativa, mas gostei da história, apesar de seu ritmo lento e de demorar mais da metade do livro para se ter qualquer sinal de ação. Mas quando essa começa, quando os mistérios começam a ser revelados, não temos vontade de largar o livro. Sobre tais mistérios, pressinto que só foi revelada a ponta do iceberg, e que ainda há muito mais para Luce – e, consequentemente o leitor – desvendar. Claro, ficamos loucos para ler a continuação da história, Torment, imediatamente.

Luce é uma garota perturbada. Também pudera, durante toda sua vida ela viu sombras se aproximando, a seguindo, a assustando, e tudo só piorou com o incêndio que matou Trevor, do qual ela simplesmente não se lembra de nada, mas que deixou todos com raiva ou com medo dela. Até seus pais pareciam constantemente assustados. Ao chegar ao reformatório ela queria apenas passar despercebida, e que ninguém descobrisse sobre seu passado, o que, é claro, foi impossível.

Quanto aos interesses amorosos da protagonista, como ela, eu também tive um momento de dúvida, mas agora tenho plena certeza que sou totalmente Team Daniel, mas se você não leu o livro, não espere qualquer explicação de mim sobre os motivos de eu gostar mais do Daniel que do Cam, apesar de este ter o seu charme. ;D

Em relação aos demais personagens, me diverti com seus diferentes estilos como o cara de dreds, a garota com o rosto cheio de piercings, os casos perdidos e suas pulseiras com dispositivos de localização, a nerd e até uma patricinha. Fiquei extremamente triste com o que aconteceu com um deles, e apesar da implicância da Luce com uma das personagens, sabia que ela teria um papel importante para a história. Outra coisa que gostei muito foi de toda a descrição do reformatório, do cemitério que reforçava o clima sombrio, da igreja transformada em ginásio, dos imundos dormitórios. Acho que ajudou bem no clima pesado que a história pedia.

Ah, não posso deixar de observar que o Google também se fez presente naquele momento em que a protagonista tenta descobrir mais coisas sobre o carinha que a interessou, mas, diferente da Bella de Crepúsculo e da Nora de Sussurro, Luce não teve a mesma sorte e não foi o tio Google que a ajudou a desvendar o grande mistério. Ela teve que descobrir sozinha.

Enfim, só sei que agora estou extremamente ansiosa pela sequência, louca de curiosidade para saber o que vai resultar daquele aperto de mãos...

***********************************************************************************************

Essa resenha faz parte do Desafio de Férias do Garota it.

Para saber mais detalhes, as regras e como participar, basta clicar na imagem ao lado.


23 de dezembro de 2010

'Percy Jackson & Os Olimpianos ψ Livro Cinco: O Último Olimpiano'





Percy Jackson & Os Olimpianos ψ Livro Cinco
O Último Olimpiano
(Percy Jackson & the Olympians ψ Book Five
The Last Olympian)
Rick Riordan








A grande profecia, a qual todos temiam, tratava de um meio-sangue, o primeiro filho de um dos Três Grandes a completar 16 anos. Percy está a alguns dias de seu décimo sexto aniversário. Cronos e sua tropa se aproximam e os deuses estão ocupados enfrentando um monstro milenar. Caberá aos heróis do Acampamento Meio-Sangue a missão de proteger o Olimpo.

Chegou o momento que eu temia. O fim de uma série que a gente gosta é sempre triste. Vou sentir falta das visitas ao Acampamento Meio-Sangue, do Quíron e sua sabedoria, do mau humor do Sr. D., da implicância da Clarisse, de Grover e seu medo sempre superado, do Tyson e seu grande coração, das tiradinhas irônicas do Percy, dos fatos arquitetônicos da sabidinha da Annabeth, e de tantos outros.

Sabe aqueles finais de série totalmente decepcionantes, em que perguntas não são respondidas e ficamos sentindo que faltou algo? Esse não é o caso. E se algo ficou sem explicação eu não percebi. Pra mim tudo foi perfeitamente explicado, sem enrolações. A batalha – que na verdade não foi só uma – foi dinâmica, com tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo que não temos vontade de piscar, com medo de perder algo. Adorei o mapa da batalha, que me fez visualizar tudo muito melhor e, por um momento, me senti em Manhattan. Fiquei triste com a perda de alguns heróis a quem tinha me apegado, angustiada em não saber quem era o espião entre os campistas, e a verdade me surpreendeu. Por falar em surpresas, eu realmente não esperava que o confronto final se desenrolasse da fora que se desenrolou, o que superou minhas expectativas. Foi um final de série tão bonitinho, esperançoso e em aberto que eu não senti como se fosse uma despedida de verdade. Sinto como se estes personagens queridos estivessem a apenas uma mensagem de Íris de distância.

A série sempre teve “participações especiais” de personagens da Grécia Antiga e uma das participações desse livro foi a que mais gostei. Vou confessar que Aquiles é um dos meus heróis favoritos, e juro que isso não tem nada a ver com o fato de que ele foi interpretado pelo Brad Pitt no cinema ;D. Brincadeiras à parte, sempre fui fascinada pela história da Guerra de Tróia, e pela história do Aquiles, que foi tão importante naquela batalha. Portanto, é claro que fiquei extremamente feliz ao ver o Aquiles dar o ar da graça na história do Percy. Mas não, não vou contar em que contexto ele aparece.

Enfim, não foi a última vez que tivemos notícias do Acampamento. Uma nova profecia foi apresentada e uma nova série intitulada Os Heróis do Olimpo, sobre outros meios-sangues, começou. O primeiro livro, The Lost Hero, já foi lançado lá fora, e espero que não demore muito a ser lançado por aqui. Eu não vejo a hora de conhecer os próximos semideuses a chegar ao acampamento Meio-Sangue para cumprir a nova grande profecia, mas antes, não vou resistir e dar uma passadinha no Egito com o tio Rick! ;D

************************************************************************************


Essa resenha faz parte do Desafio de Férias do Garota it. Para saber as regras e como participar, é só clicar na imagem ao lado.

21 de dezembro de 2010

'Percy Jackson & Os Olimpianos ψ Livro Quatro: A Batalha do Labirinto'







Percy Jackson & Os Olimpianos ψ Livro Quatro
A Batalha do Labirinto
(Percy Jackson & the Olympians ψ Book Four
The Battle of the Labyrinth)
Rick Riordan






Mais um verão se aproxima e junto com ele chega a hora de voltar ao Acampamento Meio-Sangue. Porém, este que até então era o lugar mais seguro para os Meio-Sangues está em perigo. Uma grande ameaça está próxima e pretende destruir o lugar e todos os heróis que lá são treinados. Todos no Acampamento se preparam para protegê-lo enquanto Percy, Annabeth, Grover e Tyson vão em busca de ajuda para evitar a invasão. Descobrindo por onde tal invasão se daria, a missão, dessa vez liderada por Annabeth, os leva ao famoso Labirinto de Dédalo, com suas milhares de possibilidade de caminhos, que podem levar a diversos lugares, mas também pode fazer com que os que ali passam enlouqueçam no trajeto.

Como não poderia deixar de ser, essa missão leva ao encontro de monstros milenares cada vez mais perigosos, deuses que, apesar de não poderem interferir, não deixam de dar seu pitaco, e os maiores medos de alguns de nossos heróis se tornam realidade. E a ajuda vem de onde menos se espera.

A cada livro gosto mais da narrativa do Rick, gosto mais da série, e menos posso contar da história! rss O que posso contar é que a cada livro fica melhor, e não conseguimos parar de ler. Nesse livro ficava ansiosa por saber o que se encontraria a cada curva do labirinto, qual o próximo perigo, qual a próxima figura mitológica... Ah, e finalmente descobri como Atena tem seus filhos... rss

Bem, poderia escrever e escrever o quanto gosto da série, mas prefiro ir logo pro próximo livro porque estou louca pra saber como termina!!


***

14 de dezembro de 2010

'Entre o Amor e a Amizade - Bianca Briones'








Entre o Amor e a Amizade

Bianca Briones







Viviane acaba de perder seu pai, que era a base da sua vida, vive um relacionamento de anos, mais por conformismo que por amor e está completamente triste e perdida. É nesse contexto que ela conhece Rafael, e desde o primeiro instante um se sentiu confortável com o outro, como se já se conhecessem há muito tempo. Muitas e muitas conversas de MSN depois, foi surgindo entre eles uma conexão inexplicável, um companheirismo espantoso. Um já contava com o outro. Um já precisava do outro. Apesar de ser Vivi a que mais se abre sobre sua vida e Rafa o que foge e esconde seus sentimentos, ela conseguiu encontrar brechas na carapaça que ele criou para afastar as pessoas. Ele carrega o peso de um passado que ainda o faz sofrer e que não quer compartilhar com ninguém, mas Vivi, aos poucos, começa a perceber sinais dos sentimentos dele e das dores que ele guarda. Inegavelmente surge uma linda amizade, que faz bem para os dois. Mas tudo isso seria só amizade? O que um sente pelo outro é apenas carinho de amigo ou eles permitiriam que fosse algo mais?

Esse é o livro de estréia da Bianca Briones e, para quem não sabe, a história surgiu em forma de contos no blog dela, o Redoma de Cristal. Os personagens ganharam forma, ganharam vida, conquistaram espaço e leitores e então, o blog ficou pequeno para eles. Posso dizer que desde os contos estou ansiosa por conhecer melhor essa história.

“O mais engraçado é que você me chama de ‘Anjo’ quando o Anjo da história na verdade é você.”

“Eu não. Não sou bom o suficiente para ela. Ela é especial, doce, meiga. Precisa de um príncipe e eu sou apenas um sapo em forma de melhor amigo.”


O livro me deixou encantada. Comecei a ler e simplesmente não consegui parar até terminar. Quando dei por mim, eram 4h da manhã e eu estava virando a última página com um sorriso no rosto. O livro é tão carregado de sentimentos, de emoções à flor da pele que é impossível não nos envolver, torcer, ficar com raiva, tenso. E nos faz pensar: o que fazer quando se encontra aquela pessoa que você não suporta ver triste? Que você daria qualquer coisa no mundo para fazê-la feliz? Sem dúvida é assustador e nem sempre sabemos lidar com isso. Acompanhamos anos dessa amizade que só faz crescer e se intensificar.

Vivi começa o livro com uma aparência de mocinha fraca, mas se mostra uma lutadora, forte, e que corre atrás do que quer, do jeito que gostamos de ver (eu pelo menos nem sempre tenho muita paciência para mocinhas inertes). Já o Rafa é companheiro, atencioso, o melhor amigo que alguém pode querer, mas um tanto teimoso. Tanto que com o passar do livro fui ficando aflita. Comecei entendendo ele, porém, mais pro final fui ficando irritada e queria dar um tapa na orelha dele pra ver se ele acordava! Mesmo assim, são protagonistas adoráveis. Talvez ache isso porque me identifiquei com os dois. Assim como a Vivi, sou prolixa, não tenho qualquer capacidade de síntese e quando conto algo sou mestre em fazer “longas apresentações do assunto”. Histórias contadas por mim são sempre longas. Do Rafa eu tenho o jeito fechado de ser, de preferir ouvir a falar sobre mim.

Dos personagens secundários, o Rodrigo e o Lucas, respectivamente o irmão da Vivi e o primo do Rafa, são um capítulo a parte. Me diverti demais com eles, sempre cheios de vida, pra cima. Tinham tudo para ser amargurados, mas pelo contrário, não deixam nada os abalar. Cada vez que algum deles aparecia era garantia de ótimas tiradas e situações engraçadas. Quando os dois estavam juntos então... um perigo! Pode ser que tenha gostado tanto deles por serem muito parecidos com alguns amigos meus. Mas pode ser esse também o motivo de ter gostado tanto de todos os personagens, por serem tão reais. Podiam ser meus amigos, seus amigos, e essa história toda ser contada pra você por eles.

O livro é emocionante, tem diálogos lindos, mas também tem momentos impagáveis que de tão engraçados tive que baixar o livro pra rir, imaginando as cenas. Como por exemplo:

Momento impagável nº 1: Rodrigo dormindo abraçado com um Shrek gigante;
Momento impagável nº 2: Rafa assistindo ao filme “O Casamento do Meu Melhor Amigo” e divagando sobre a vida, sobre o filme e sobre a Vivi;
Momento impagável nº 3: O encontro entre Carlos e os “três casais”.
(Lógico que, de propósito, não vou explicar nenhuma das situações, e nem contar outras! ;D)

Confesso que a princípio me incomodou que os protagonistas, já no começo do livro, ela com 21, ele com 23 anos, tinham conversas que pareciam maduras demais pra idade, mas depois pensei em tudo o que eles passaram e percebi que seria impossível que não tivessem amadurecido, sem importar a idade que tivessem. Agora, se eu tivesse que fazer uma reclamação seria que eu queria um pouco mais da relação da Vivi com a mãe - apesar de esta ser conturbada e distante - como vemos do Rafa com a mãe dele, a D. Rosalia, que é uma fofa!

Algo que achei muito legal, mas que só tem graça pra mim, é que eu tenho uma xará entre os personagens! Eu adorei, e ainda, outros dois personagens têm os nomes dos meus irmãos, me senti em casa! rs

Entre momentos emocionantes, bonitinhos, engraçados e tensos, a história é intensa, mas a leitura é leve, nos faz viajar e querer estender a mão para os personagens, e dar conselhos...

Pra terminar, digo apenas uma coisa: que bom que a Bianca não guardou esses personagens só pra ela e os lançou ao mundo! Que bom que eles a importunaram até que tivessem sua história contada!





**********************************************************************************************************
Pessoas, como comprei o livro na pré-venda, a Bianca me enviou um kit fofo, e mais, enviou um outro kit com: 2 marcadores, 1 botton e 1 calendário de mesa, pra eu sortear pra vocês. E, como eu sou muito gente boa, vou acrescentar ao kit mais alguns marcadores diversos! ;D





Vou fazer esse sorteio pelo twitter, então, basta seguir o blog e RT a frase: #sorteio kit ‘Entre o Amor e a Amizade’ @BiancaBriones + marcadores no blog da @cacasampaio http://kingo.to/okQ


O sorteio começa hoje e termina no dia 27 de dezembro. Boa sorte!

13 de dezembro de 2010

Músicas que não me saem da cabeça: 'Arctic Monkeys - Fluorescent Adolescent'

Sou simplesmente apaixonada por Arctic Monkeys, o difícil foi escolher uma música só pra colocar aqui. =D






You used to get it in your fishnets
Now you only get it in your night dress
Discarded all the naughty nights for niceness
Landed in a very common crisis
Everything's in order in a black hole
Nothing seems as pretty as the past though
That Bloody Mary's lacking her Tabasco
Remember when you used to be a rascal?

Oh that boy's a slag
The best you ever had
The best you ever had
Is just a memory and those dreams
Weren't as daft as they seemed
Not as daft as they seemed
My love when you dreamed them up...

Flicking through a little book of sex tips
Remember when the boys were all electric?
Now when she tells she's gonna get it
I'm guessing that she'd rather just forget it
Clinging not to getting sentimental
Said she wasn't going but she went still
Likes her gentlemen not to be gentle
Was it a mecca dobber or a betting pencil?

Oh that boy's a slag
The best you ever had
The best you ever had
Is just a memory and those dreams
Weren't as daft as they seem
Not as daft as they seem
My love when you dream them up
Flo, where did you go?
Where did you go?
Where did you go? Woah.

Falling about
You took a left off Last Laugh Lane
You just sounded it out
You're not coming back again.

Falling about
You took a left off Last Laugh Lane
You just sounded it out
You're not coming back again.

You used to get it in your fishnets
Now you only get it in your night dress
Started all the naughty nights with niceness
Landed in a very common crisis
Everything's in order in a black hole
Everything was pretty in the past though
That Bloody Mary's lacking in tabasco
Remember when you used to be a rascal


***

10 de dezembro de 2010

'Percy Jackson & Os Olimpianos ψ Livro Três: A Maldição do Titã'





Percy Jackson & Os Olimpianos ψ Livro Três
A Maldição do Titã
(Percy Jackson & the Olympians ψ Book Three
The Titan’s Curse)
Rick Riordan




Dois anos após sua primeira aventura, Percy Jackson está mais acostumado com essa coisa de ser um meio-sangue, filho de um dos grandes deuses, ser atacado por monstros mitológicos dos mais bizarros, ter como amigos outros meio-sangues e um sátiro, ter antigos amigos e inclusive deuses como inimigos e uma caneta como arma. Mas isso não quer dizer que tenha ficado fácil. Na verdade, está cada vez mais difícil, como se ele tivesse que carregar o mundo nas costas.

Nesse livro, dois novos meio-sangues são descobertos e o sátiro Grover pede a ajuda de Percy para resgatá-los. Ainda não se sabe de quem eles são filhos, mas o simples fato de serem meio-sangues já é motivo suficiente para se tornarem alvos de monstros e necessitar da proteção que só o Acampamento Meio-Sangue pode proporcionar. Além disso, Cronos, o Senhor dos Titãs, continua com seu plano de ressurgir e destruir todos os deuses olimpianos, contando para isso com a ajuda de poderosos aliados.

Entre deusas sequestradas, deuses em carros conversíveis, promessas quebradas, garotas de olhos verdes que vêem mais do que deviam, estranhos – porém fofos – seres marítimos e um cavalo alado, é o livro da série com mais ação até aqui. Foi mais uma leitura empolgada, de um livro em que a mitologia casa perfeitamente com a história narrada, e que nos faz querer ler sem parar um minuto. Só o que posso dizer é que é uma série impecável! Nesse livro, novamente, reconheci mais algumas das histórias e é sempre delicioso reconhecer a mitologia por trás, aquela história que li há tanto tempo, daquele herói antigo... Senti falta de um personagem querido que não apareceu tanto e tive meu momento de ter peninha do Percy... mas não vou contar do que é, pra não estragar a surpresa de quem não leu.

Essa é uma das séries que pra mim virou xodó, e que eu não sei se quero ler logo pra já saber tudo o que acontece ou se quero ler devagar pra demorar a acabar. Não sei se vou superar não poder mais visitar o Acampamento Meio-Sangue. Bom, melhor pensar que eu ainda tenho mais dois livros (três, contando com Os Arquivos do Semideus) antes de ter que me preocupar com isso.


***

6 de dezembro de 2010

Essa semana...



Meme semanal hospedado pelo Lost in Chick Lit, onde compartilhamos pequenas informações sobre a nossa semana literária. Tendo como principal objetivo encorajar a interação entre os blogs literários brasileiros, fazer amizades e conhecer um pouquinho mais sobre outras pessoas apaixonada por literatura. Tem interesse em participar? Saiba como aqui!

**********************************************************************************************

Leitura do momento:
Percy Jackson e os Olimpianos: A Maldição do Titã

Li essa semana:
Diários do Vampiro: Reunião Sombria – L.J. Smith

Resenhei essa semana:

Super Posts:
E lá se vão 6 meses... (Em comemoração aos 6 meses do blog)

Ultima Compra:
Os livros que me faltavam da série do Percy Jackson! Yay!!

Desejo Comprar Urgentemente:
Cheio de Charme, o livro novo da Marian, mas ainda está muito caro... =(

Conversa imaginária com personagem fictício:
"Elena, isso lá é hora pra se preocupar com sua aparência?!" ¬¬

Eu falaria para o autor:
"Lisa, sinto muito, mas os personagens da TV são mais legais que os seus!” Para L.J. Smith

Estado de Espirito Literário:
Saindo de uma ressaca literária direto para as aventuras do Percy Jackson!

Literary Crush (paixão literária do momento):
Estou carente de paixão literária no momento. Em busca da próxima! ;D

Feito da Semana
Terminar de ler o Reunião Sombria. Foi uma luta de semanas, tentando me livrar de uma ressaca literária...

Queria ver no Brasil:
Todos ou qualquer um dos livros da Jill Mansell!!

Im in mood for... (gênero literário do momento):
Juvenil

Hey Mr, Postman (ultima coisinha que chegou do correio):
Vou ser repetitiva, mas novamente, foi o Percy! hehehe

Super Quote:
“E é assim o início do fim. Assim, com essa simplicidade, com uma só palavra, e você morre numa noite de verão. Uma noite de verão em que a lua e as estrelas brilham e fogueiras queimam com as mesmas chamas que os druidas usavam para invocar os mortos.”
(Reunião Sombria)

Vi e viciei (booktrailers, trailers, videos whatever):
Clipe Maroon 5 - Makes Me Wonder (Porque Maroon 5 é vida!!!) =D



***

*Série 'Diários do Vampiro' - L.J. Smith*



Série Diários do Vampiro
(The Vampire Diaries)
L. J. Smith




Apesar de começar a ser lançada no Brasil apenas em 2009, a série foi criada no início dos anos 90 pela americana L.J. Smith e, a princípio, foi concebida para ser uma trilogia – O Despertar, O Confronto, A Fúria – mas, a pedido dos fãs, foi escrito um quarto livro, Reunião Sombria. Em 2009, a autora retomou a história, criando mais uma trilogia intitulada ‘Diários do Vampiro: O Retorno’. O primeiro dos livros, Anoitecer, foi lançado recentemente no Brasil, e o livro que fecha essa trilogia será publicado nos Estados Unidos apenas em março de 2011. Na sequência, a autora planeja ainda uma outra trilogia, 'The Vampire Diaries: The Hunters', em que parece que os personagens irão para a faculdade. Em 2009, a história foi adaptada para a TV, tornando-se uma das séries de grande sucesso do momento – apesar de a série de TV e a literária terem pouco em comum. Pensando nisso, este ano foi lançado o primeiro livro de uma nova trilogia, escrita pelos produtores da série de TV, baseada nos personagens da L.J. Smith -'The Vampire Diaries: Stefan's Diaries', que não só contará a história do ponto de vista do Stefan, mas contará a história criada para a TV, narrando os acontecimentos que se deram antes de Stefan virar vampiro até ele conhecer Elena, mais de um século depois. Ufa! Nessa brincadeira entre livros publicados e planejados já são 13 livros. Ô história pra render...

Por falar em história, esta começa apresentando Elena, uma garota que tem tudo, é bonita, popular, mas, as coisas começam a ficar um pouco difíceis depois que ela perde os pais em um acidente. Na volta à escola, porém, um aluno novo lhe chama a atenção e ela se torna obcecada por ele. Esse aluno é Stefan Salvatore. Enquanto Elena corre atrás de Stefan, acontecimentos estranhos abalam a cidade, e um novo estranho aparece.

Bom, após ler os 4 primeiros livros meu veredicto final é: prefiro a série de TV. Não que os livros sejam ruins, não são, mas gostei mais de como a série desenvolveu a premissa. Ponto para os produtores. Assim eu, que sempre tenho um pé atrás com adaptações de livros, tenho que dar o braço a torcer bonito! A série de tv é incomparavelmente melhor. É mais dinâmica, o desenrolar dos fatos é mais interessante, e a Elena não é tão irritante. É, meu problema é com a Elena. Nos livros ela é um ser totalmente antipático, uma garota egoísta mimada e fútil. Como gostar de um livro em que se tem antipatia pela protagonista? Tudo bem, ela melhora no decorrer da história, até se redime e deixa de ser a menininha mimada preocupada apenas com o próprio umbigo, mas ainda assim, quatro livros depois, não consigo simpatizar com ela.

O primeiro livro é o mais fraco, mas os livros seguintes são melhores, a história começa a ter mais ação, a fluir melhor e a ficar mais interessante. Ainda assim, acho que aos livros falta alguma coisa que ainda não descobri o que é. Há um apelo inegável mas falta algo que gere um amor incondicional que eu busco nos livros e em seus personagens. Mas, apesar de toda a minha reclamação, continuo acompanhando, porque sou teimosa, porque sou curiosa, ou simplesmente porque a narrativa da autora tem algo que faz ser impossível não querer ler o livro seguinte, e o outro, e o outro...


— Diários do Vampiro, #1: O Despertar (The Awakening)
— Diários do Vampiro, #2: O Confronto (The Struggle)
— Diários do Vampiro, #3: A Fúria (The Fury)
— Diários do Vampiro, #4: Reunião Sombria (Dark Reunion)

— Diários do Vampiro: O Retorno: Anoitecer (Nightfall)
— The Vampire Diaries: The Return: Shadow Souls (sem tradução no Brasil)
— The Vampire Diaries: The Return: Midnight (ainda não publicado)

— The Vampire Diaries: The Hunters #1: Phantom (ainda não publicado)
— The Vampire Diaries: The Hunters #2: Moonsong (ainda não publicado)
— The Vampire Diaries: The Hunters #3: Eternity (ainda não publicado)

— The Vampire Diaries: Stefan's Diaries #1: Origins (sem tradução no Brasil)
— The Vampire Diaries: Stefan's Diaries #2: Bloodlust (ainda não publicado)
— The Vampire Diaries: Stefan's Diaries #3: The Craving (ainda não publicado)


***

4 de dezembro de 2010

E lá se vão 6 meses...

Olá pessoas!

Hoje o blog completa 6 meses de existência. Há 6 meses decidi que seria uma boa compartilhar minhas opiniões com as pessoas que gostam do mesmo que eu, consumindo boa parte do meu tempo, e não me arrependo!! Pelo contrário, apesar de não ter tanto tempo pra me dedicar a ele como gostaria, esse blog já me faz muito feliz! Adoro cada uma das visitas, cada um dos comentários e cada uma das pessoas incríveis que conheci por causa dele!! Muito obrigada a todos que passam por aqui. Continuem me acompanhando e deixem sempre um oi! ;D

Aproveitando a comemoração, num momento Retrospectiva dos Melhores Momentos, vou colocar aqui os posts 'Mais Mais' até agora, os mais vistos, mais comentados... Espero que gostem.


Os mais vistos:





Ah, as viciantes séries de TV...
Porque a pessoa aqui é viciada em série, e, pelo visto, vocês aí também. ;D








A Leitura e Eu
Um texto em que eu conto a minha relação com a leitura, desde o primeiro gibi. Dou pulinhos de alegria sempre que alguém diz que gostou. \o/




'Série Mortal – J.D. Robb'
Tão bom saber que as pessoas são apaixonadas pela Série Mortal tanto quanto eu. Fiz esse post lá no início do blog e vira e mexe ainda recebo visitas nele. O que me lembra que tenho que ler os livros que me faltam...


Os mais comentados:



'A Hospedeira - Stephenie Meyer'
Resenha do livro mais adulto da autora da Saga Crepúsculo, que conta a história da alienígena Peg, cuja espécie invadiu e dominou a Terra, mas que, para viver, necessita ser implantada em hospedeiros. Acontece que a humana Mel, sua hospedeira, se recusa a abandonar seu corpo. Recomendo muito!!






*Série 'Amigas Escritoras' - Rachel Gibson*
Uma das minhas séries preferidas de uma das minhas autoras preferidas. Uma pena que nem todos os livros foram lançados no Brasil, e os que foram...






Dedicatórias de Livros
Uma compilação de algumas das minhas dedicatórias preferidas, por serem cutes, engraçadinhas etc






Não sei se perceberam, tem um tempinho que não publico nenhuma resenha... =/
Passei por uma ressaca literária brava, sem conseguir ler nada. Mas, já estou melhorando, e em breve as resenhas voltarão!! ;D


***

30 de novembro de 2010

Lançamento 'Pobre Não Tem Sorte 2 - Leila Rego' e Parceria

Olá pessoas!

Da série: "Mais um lançamento bacana que não vou poder ir", agora em dezembro acontecerá o lançamento do livro Pobre Não Tem Sorte 2, da Leila Rego.

Todo o mimimi 'ah, não posso ir' à parte, estou super ansiosa para ler a continuação da história da divertidíssima Mariana. O lançamento ocorrerá em dezembro na cidade de São Paulo, e em março no Rio de Janeiro e Fortaleza. Datas, horários e locais do lançamento no banner abaixo:



Aproveito também pra anunciar que o blog fechou parceria com a Leila, que é uma autora sempre muito querida com todos. Portanto, aguardem que em breve terei novidades para vocês!!

Mais uma vez peço que quem puder ir prestigiar a Leila, faça isso por mim!


***

28 de novembro de 2010

Prévia: 'Entre o Amor e a Amizade - Bianca Briones'



Entre o Amor e a Amizade

Bianca Briones



Acompanhando o blog Redoma de Cristal, da Bianca Briones, descobri alguns contos escritos por ela e me encantei pela história do Rafa e da Vivi. Uma história tão intensa que o blog e os contos ficaram pequenos para eles. Por isso, ao invés de dar um desfecho em forma de conto, a Bianca, nos deixando morrendo de curiosidade, transformou a história em livro. Assim nasceu o livro "Entre o Amor e a Amizade", que será lançado agora em dezembro.

Não vejo a hora de ler, saber o que acontece, conhecer melhor os outros personagens... Enfim, aí vão mais informações sobre o livro. Depois me contem se não dá vontade de ler!



"Contrariando os tempos modernos, um romance sai das páginas da internet direto para o papel. Dezembro será o mês de lançamento de “Entre o Amor e a Amizade”, da blogueira Bianca Briones. Este é o primeiro livro publicado pela autora e já conquistou muitos leitores na versão online.

O romance conta a história de Viviane e Rafael. Os protagonistas vivem momentos conturbados de suas vidas e quando menos esperam, se conhecem e descobrem com auxílio um do outro que, apesar da dor, a vida segue. E é quando começam a questionar o que sentem.

É um livro repleto de sentimentos, em que duas pessoas descobrem o verdadeiro significado da amizade. Uma história capaz de te fazer rir e chorar, levando-o a um mergulho no universo desses personagens tão humanos. Não há como não se identificar com um deles ou com um pouquinho de cada. Em dezembro, não será você quem abrirá um livro, e sim Rafael e Viviane que se exporão com intensidade a você.

A obra será lançada pela Editora Lexia e surgiu de uma série de contos publicados no Redoma de Cristal, blog de crônicas, poesias, contos e resenhas administrado por Bianca Briones. Os leitores pediram e a autora decidiu converter o romance em livro. Disponibilizado parcialmente na web, o desfecho dessa história só poderá ser conhecido no papel. Conheça Rafael e Viviane e descubra o que existe entre o amor e a amizade."

Sinopse:

Viviane acabou de perder uma das pessoas mais importantes de sua vida.
Rafael luta para reestruturar a sua…

Ela vive um relacionamento sem futuro. Ele tenta deixar seu passado para trás…
Quando menos esperavam, eles se conheceram e descobriram pelos olhos do outro que, apesar da dor, a vida não para.

Ele a salvou de todas as maneiras que uma pessoa pode ser salva.
Ela lhe mostrou que ele podia parar de fugir.
Ele a fortalecia. Ela era seu anjo.

Quando você conhece alguém que sabe exatamente como você se sente, conhece seu pior lado, sabe de todos os seus defeitos, esteve presente nos piores e melhores momentos, alguém que o ama sem pedir nada em troca e já não sabe mais onde começa a sua história e termina a dele, você não quer perdê-lo. Ainda que isso signifique lutar contra o que você sente porque, afinal, a única coisa que importa a você é que ele esteja bem.

Conheça a história de Rafael e Viviane e descubra o que existe entre o amor e a amizade.

Citações do livro:

“O tempo é capaz de desfocar as nossas dores e nos distrair com a vida que segue, mas a dor nunca some por completo. Nós a colocamos num arquivo do coração e evitamos mexer nela.”


“Ela hesitou antes de escrever. Queria contar a ele o que estava sentindo e não sabia por onde começar.”


“Não queria nem pensar no passado. Enterrou-o e ponto. Nada de falar sobre ele. Nada de acordar antigos fantasmas.”


“Enquanto Viviane era um livro aberto e pronto a ser lido, Rafael era um livro secreto, lido por ela através das entrelinhas.”



Sobre a autora:

Bianca Briones escritora, meio brasileira, meio espanhola e mãe de dois meninos lindos. Escreve desde criança, tendo publicado sua primeira crônica através de um concurso na escola. Perdeu muitos textos que, por nunca ter tido coragem de publicar, ficaram nas folhas dos cadernos antigos. Decidiu recentemente que não viverá de sonhos e seguirá atrás deles. Posta seus contos, crônicas, poesias, resenhas, entre outros, diariamente em seu blog Redoma de Cristal.

Siga a autora no Twitter

Livro: "Entre o Amor e a Amizade" no Skoob

Booktrailer de "Entre o Amor e a Amizade"

Site da autora

Site da editora


Bem, o livro está em pré-venda até o dia 05/12 – mais informações aqui – e se eu fosse vocês já garantia uma cópia. Eu sei que eu já garanti a minha!!

Ainda, pra quem é de São Paulo, no dia 09/12, às 19:30h, vai ter Lançamento do livro, no Starbucks (Alameda Santos, 1054). Queria muito poder ir, pena que não posso... =(

Mas quem puder ir, prestigiar e participar desse momento que eu tenho certeza que será muito especial, dê um beijo na Bianca por mim! ;D


***

24 de novembro de 2010

Desafio de Férias


Adoro desafios literários, não que eu precise de incentivo pra ler, mas adoro a interação com outros leitores. Por isso, é claro que adorei o desafio proposto pela Pam do Garota it que, além de incentivar a leitura, juntar os blogueiros, ainda fará sorteios entre os participantes. O desafio consiste basicamente em escolher pelo menos 2 livros por mês, a serem livros e resenhados em dezembro, janeiro e fevereiro. Aos interessados, todas as regras estão no Garota it (é só clicar na imagem ao lado), onde também estarão os links para resenhas de todos os participantes, mas já vou adiantar algumas das informações gerais:



• Você deverá ler e resenhar pelo menos dois livros por mês. Os livros terão que ser LIDOS e RESENHADOS no prazo corrente do desafio. Ou seja, não vale livros que você leu em novembro, outubro, ou qualquer mês anterior.

• Você pode ler muito mais livros, porém, dois livros por mês é o mínimo.

• As resenhas deverão ser postadas em algum lugar público que outras pessoas possam ler. Então, caso você não tenha blog, a resenha poderá ser publicada no Skoob.

• Será aceito qualquer gênero literário. Este desafio é um incentivo a leitura, então mesmo se não são livros do assunto do blog, sinta-se livre para participar.

Regras Gerais:

• Você deverá postar uma lista em seu blog ou no tópico do Desafio no Skoob (caso não tenha blog), com todos os livros que você pretende ler no Desafio de Férias. É necessário que você coloque o banner e um link para este post do desafio para que as pessoas interessadas possam participar.

• Os sorteios só serão válidos para território brasileiro.

• Após a leitura e resenha você deverá adicionar o link para a resenha no post correspondente ao mês.

• Quanto mais livros lidos, mais chances de ganhar o sorteio.

• Não é necessário seguir o blog, mas ficarei muito feliz caso o fizer.

• Sua lista de leituras pode mudar a qualquer momento. Você poderá remover e adicionar qualquer livro que quiser. Ela será apenas uma “meta de leitura”, que servirá como base para quem quiser acompanhar o desafio.




Enfim, vamos aos meus escolhidos:


Dezembro

1. Fallen – Lauren Kate
2. O Último Olimpiano – Rick Riordan


Janeiro

1. Wake – Lisa McMann
2. Fade – Lisa McMann


Fevereiro

1. Gone – Lisa McMann
2. Nick e Norah, Uma Noite de Amor e Música – Rachel Cohn e Devid Levithan


***

21 de novembro de 2010

'Miranda's Big Mistake - Jill Mansell'







Miranda's Big Mistake

Jill Mansell






Miranda é a atrapalhada ajudante do salão de beleza de Fenn Lomax, o mais bonito e famoso cabeleireiro hétero da cidade. Ela está sempre se metendo em alguma confusão, inventando histórias mirabolantes para justificar seu constante atraso, mas é divertida e está sempre cercada de amigos. Só que ela não tem sorte com os homens. Pelo menos é o que parece, até que ela conhece o lindo, charmoso, perfeito Greg. Bom, não tão perfeito assim, ela descobre, afinal. Mas Greg não é o único homem do mundo. Há ainda Daniel, o repórter que Miranda conheceu enquanto ele fingia ser um sem-teto para uma matéria e ela dividia seu almoço com ele. Claro que ela odiou descobrir que ele a enganou, e ele tem aquele ar arrogante e a irritante postura de quem a conhece melhor que ninguém, além de estar sempre a provocando e viver se metendo na vida dela. Isso sem falar do Miles, o gatíssimo e famoso piloto de corridas que ela conheceu na casa de uma cliente e que, sabe-se lá porque, se interessou por ela.

Chloe, vivia um feliz casamento. Eles nunca planejaram ter filhos, então é claro que é uma surpresa quando ela descobre estar grávida, mas não é o fim do mundo. Bem, para seu marido não é mesmo o fim do mundo, mas definitivamente é o fim do casamento. Assim que recebe a notícia da gravidez, Greg junta suas coisas e a abandona. Sim, o mesmo Greg. Para piorar, o patrão de Chloe está tornando sua vida cada vez mais difícil. Mas a mãe dele, Florence, com seu grande coração, e um pouquinho para irritar seu filho, sai em auxílio de Chloe. Ela não consegue resistir ajudar mocinhas com problemas, afinal, não foi assim com sua primeira inquilina, a atrapalhada Miranda?

No começo a narrativa pode ser um pouco confusa, pois a história trás muitas tramas paralelas e o ponto de vista de vários personagens, mas essas tramas se entrelaçam e logo a gente se apaixona incondicionalmente por cada um deles – com exceção do Greg, claro, pelo qual eu desenvolvi um ódio imediato... Ah, e também a Daisy. Bitch! (Já contei que eu me envolvo, né? Amo e odeio intensamente personagens de livros) Mas torcemos demais pela Miranda, mesmo com as divertidas confusões em que ela se mete, torcemos pelos amores eternos dela que terminam num instante, as "outras pipas" com quem ela se envolve, pelas desculpas que ela dá pra chegar atrasada ao trabalho, e por seu cabelo azul.

E a Chloe, de quem a gente gosta desde o início, quando o marido a abandona só porque ela engravidou. Torcemos para que ela reconstrua sua vida, não apenas com seu bebê, mas com um cara que a mereça. Isso sem falar dos demais personagens, a Florence, a proprietária da casa em que Miranda mora, que é aquela senhorinha gente boa que fala tudo o que pensa e que sempre nos diverte; o Fenn, que é um chefe que não quer parecer legal, mas é; Bev e sua obsessão por encontrar o futuro pai dos seus filhos; e o Johnny, o Miles, o Bruce, o Tom, a Tabitha, e o Danny...

Ah, o Danny... Torci por ele desde o primeiro minuto. Tá bom, não desde o primeiro minuto, também fiquei com um pé atrás com ele no começo, mas não demorou muito pra ele me conquistar. Como o livro em si me conquistou. Me deixou chocada, me fez rir, me fez ter raiva, me fez suspirar, me deixou triste, me fez torcer pelos personagens, enfim, despertou vários sentimentos, como só um bom livro é capaz de fazer. É um chick lit delicioso.

A inglesa Jill Mansell é uma dessas autoras maravilhosas que simplesmente não tem livros publicados no Brasil. Não me conformo. Ela tem muitos livros, e se todos forem um pouquinho como esse, merecem ser lidos. E depois desse, eu definitivamente quero ler outros livros dela.

***

17 de novembro de 2010

Agora, também no Subtítulo


A partir desse mês de novembro, além de cuidar deste blog, também estou com uma coluna semanal no blog Subtítulo. Nessa coluna, intitulada Cinelivros, escrevo sobre os livros que tiveram adaptações cinematográficas, a cada semana tratando de um livro diferente.





Confesso que este post está um pouco atrasado, na verdade bem atrasado, já que só agora estou falando da coluna, sendo que essa semana publiquei meu texto por lá. Péssimo o quão negligente eu fui, me desculpem...

Enfim, convido quem me visita por aqui a dar uma passadinha também no Subtítulo, não só pela minha coluna, mas por todo o conteúdo, as outras colunas, resenhas e textos sobre o mundo literário em geral.

Então é isso, além das minhas resenhas e textos por aqui, vocês me encontram toda quarta, também no Subtítulo.



***

4 de novembro de 2010

*Série 'Heather Wells' - Meg Cabot*



Série Heather Wells
(The Heather Wells Series)
Meg Cabot




Minha relação com a Meg é recente, e eu ainda não li um terço do que ela escreveu. Não li nenhum dos livros da série mais famosa dela, “Os Diários da Princesa”, por exemplo. Relutei muito para começar a ler os livros dela porque, bem, são MUITOS, e muitas séries, e sabia que assim que lesse o primeiro não conseguiria parar. E não consigo mesmo. De todas as séries dela, pra mim a mais adorada é a da Heather Wells! É sem dúvida a minha favorita.

Heather Wells, a protagonista de “Tamanho 42 Não é Gorda” (Size 12 Is Not Fat) e “Tamanho 44 Também Não é Gorda” (Size 14 Is Not Fat Either), é uma ex-estrela pop que tenta refazer sua vida após perder a fama e ganhar alguns quilinhos extras. Além da fama ela perdeu o contrato com sua gravadora, o namorado, ex-membro de uma antiga boy band, e sua mãe fugiu com todo o seu dinheiro. Acabou indo morar de favor com o irmão de seu ex, o apaixonante Cooper, e agora trabalha em um alojamento de faculdade, ops, quer dizer, em um conjunto residencial estudantil. Tudo vai relativamente bem, até que ocorre uma estranha morte no prédio em que Heather trabalha e ela começa a investigar por conta própria os acontecimentos.

ADORO a Heather. É a minha personagem favorita da Meg, sem dúvida. Ela é divertida, intrometida, curiosa... Me divirto com as confusões de sua vida amorosa, seu ex que vive no seu pé, sua paixão platônica pelo Cooper, além das ótimas investigações. Em cada livro Heather se depara com um crime e não resiste em tentar solucioná-lo. É mais uma das séries que não aguentei esperar o lançamento da continuação por aqui. Depois de ler o segundo não me contive até ler o terceiro. E é difícil dizer qual livro é o melhor. Após ler o terceiro, “Big Boned” (que espero seja lançado logo por aqui) me bateu uma angústia, porque a Meg ainda não escreveu a continuação! Mas, para minha alegria, no site oficial dela há a informação que já estão confirmados os livros 4 e 5!!. Além do que, pela forma como acaba o terceiro livro seria uma maldade se não houvesse continuação!! Agora é só esperar, e enquanto isso, ler e reler os livros já lançados. Porque vale a pena!



— Heather Wells, #1: Size 12 Is Not Fat (Tamanho 42 Não é Gorda)
— Heather Wells, #2: Size 14 Is Not Fat Either (Tamanho 44 Também Não é Gorda)
— Heather Wells, #3: Big Boned
(sem tradução no Brasil)




***

3 de novembro de 2010

Músicas que não me saem da cabeça: 'Willow Smith - Whip My Hair'

É o tipo de música feita pra grudar. Impossível não ficar com o "I whip my hair back and forth" na cabeça!!
E o tanto que ela parece com o pai?!rss



I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (just whip it)
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (whip it real good)

I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth
I whip my...

Hop up out the bed turn my swag on
Ain't no sense listining to them haters cuz we whip em off
And we ain't doing nothing wrong
So don't tell me nothing, I'm just tryna have fun
So keep the party jumping

So what's up (yea)
And I'll be doing what to do
We turn our back
And we walk over and just shake them off
Shake 'em off, shake 'em off, shake 'em off

Don't let haters keep me off my grind
Keep my head up and I know I'll be fine
Keep fighting until I (yea)
Am down and I feel like giving up

I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (just whip it)
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (whip it real good) (2x)

I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (ok, ok, ok, just whip it, ok,)
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (whip it real good)

I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (ok, ok, ok, ok)
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth
I whip my...

I'mma get more shine than a little bit
Soon as I hit the stage applause I'm hearing it
Weather it's black stars black cars I'm feeling it
But can none of them whip it like I do
I, I gets it in hmmm yea I go hard
When they see me pull up I whip it real hard
I whip it real hard, real hard, I whip it real hard

Don't let haters keep me off my grind
Keep my head up and I know I'll be fine
Keep fighting until I (yea)
Am down and I feel like giving up

I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (just whip it)
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (whip it real good) (2x)

I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (ok, ok, ok, just whip it, ok)
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (whip it real good)

I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (ok, ok, ok, ok)
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth
I whip my...

All my ladies if you feel me
Do it do it, do it whip your hair
Dont' matter if it's long, short
Do it do it whip your hair

All my ladies if you feel me
Come on do it do it whip your hair
Dont' matter if it's long, short
Do it do it whip your hair (your hair, your hair)

I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (just whip it)
I whip my hair back and forth
I whip my hair back and forth (whip it real good) (3x)



***

27 de outubro de 2010

'O Menino do Pijama Listrado - John Boyne'







O Menino do Pijama Listrado
(The Boy in the Striped Pyjamas)
John Boyne






Bruno é um garoto de 9 anos que vive em uma espaçosa casa em Berlim com seus pais e sua irmã. Como toda criança, tem uma visão limitada do que acontece à sua volta, não sabendo sequer qual o trabalho do seu pai, só que é algo muito importante e que envolve incríveis uniformes. Não sabe que seu país está em guerra, apenas que terá que deixar sua casa e seus melhores amigos da vida toda para morar em um lugar isolado, onde não tinham outros meninos com quem ele poderia brincar.

De sua antiga janela, se ficasse na ponta dos pés podia ver a cidade de Berlim, já de seu novo quarto, a visão que tinha era de uma enorme cerca e, atrás dela, centenas de pessoas, e todas elas usavam o mesmo pijama listrado. Decidido a explorar os arredores, Bruno chega bem perto da cerca e vê um menino, que também usava aquele mesmo pijama listrado, que tinha a mesma idade que ele e quem ele passou a considerar um grande amigo.

"Claro que isso aconteceu há muito tempo e nada parecido poderia acontecer de novo. Não na nossa época."

Com uma narrativa diferente e interessante, o livro trata de um dos períodos mais tristes da história mundial: o Nazismo e o Holocausto. Mas, diferente da maioria dos inúmeros livros que tratam desse tema, o faz pelo ponto de vista de um ingênuo menino.

Um menino que sequer sabia como pronunciar 'Führer' e 'Auschwitz', quanto mais era capaz de entender o que acontecia a sua volta, o que acontecia com o seu amigo (o do pijama listrado), ou o que acontecia com ele próprio.

Um menino de olhos inocentes, que não percebem a maldade que o rodeia, que não tem idéia do quanto o ser humano pode ser vil e cruel, o quanto pode degradar outros seres humanos iguais a ele somente por se sentirem superiores, apesar de ninguém o ser.

Um livro excelente, mas triste, muito mais por, apesar de ser ficção, ter como cenário um fato real e que jamais, JAMAIS deveria ocorrer novamente.


***

21 de outubro de 2010

'O Vendedor de Armas - Hugh Laurie'






O Vendedor de Armas
(The Gun Seller)
Hugh Laurie






Thomas Lang é um ex-membro da tropa de elite do exército britânico, nos seus 36 anos, solitário, sem grana e sem muitas perspectivas de vida. Um desconhecido lhe oferece um bom dinheiro por um trabalho peculiar. Peculiar pois não é algo que ele faça. Matar alguém. Um empresário americano que vive em Londres. Não, Lang não aceita. Ao invés disso, ele resolve alertar o alvo de que o querem morto. Mas, na tentativa de fazê-lo, ele acaba atacado por – e atacando – um desconhecido e conhece a filha do alvo, por quem ele fica um tanto quanto obcecado. E isso é só o começo.

A partir de então Lang se envolve em um complicado jogo de interesses, conspirações e antes que perceba, é acusado de atentar contra a vida que ele na verdade tentou proteger, pois todos acreditam que ele aceitou o trabalho, afinal, uma grande quantia de dinheiro surge em sua conta. Ele tem seu apartamento revirado, descobre que as pessoas definitivamente não são o que parecem, e que aqueles que parecem controlar o mundo, tem um projeto secreto que geraria muito dinheiro, mas também custaria muitas vidas.

Ele então pega um avião para o Canadá, onde se casou com uma moça chamada Mary-Beth e começou um negócio com cerâmicas que fez muito sucesso. Quer dizer, ele decide que era o que ele deveria ter feito. Ao invés disso, ele se vê entre atentados, espionagem, tiros, um acidente de carro, uma estação de esqui na Suíça, grupos terroristas, galerias de arte, loiras em carros conversíveis e improváveis amizades. Se vê diante de tantas ‘verdades’ diversas que Lang chega a duvidar quem é, e no que e quem acreditar.

A história é interessante, bem contata, e por mais séria que seja possui um humor sarcástico cativante. A princípio achei que em alguns momentos o ritmo da narrativa ficava meio lento, mas por outro lado, cada detalhe contado é importante. Uma simples palavra dita em uma ligação telefônica aleatória pode fazer toda a diferença. Por isso, no final das contas, o ritmo não tira o prazer de acompanhar essa história recheada de reviravoltas das mais surpreendentes. Assim como Lang, queremos descobrir quem está envolvido, o que cada um pretende e como resolver tudo, ou impedir tudo, dependendo do ponto de vista.

Thomas Lang é um capítulo à parte. É desses personagens politicamente incorretos, que faz tanta coisa errada que acaba fazendo o certo, que se baseia na ironia, no sarcasmo e acompanhar a mente desse cara, suas contradições, seus sentimentos confusos, é uma das melhores coisas do livro. Ele definitivamente merecia ter mais de suas histórias contadas.

Concluindo, não é que o Hugh Laurie não é apenas um ator maravilhoso (House que o diga), mas também um escritor talentoso? Uma curiosidade: Hugh pretende lançar uma sequência, que seria intitulada “The Paper Soldier”, mas é um projeto que ele acabou adiando, adiando, e por enquanto tem futuro indefinido. O que é uma pena.



***

14 de outubro de 2010

Dedicatórias de Livros


Sei que muita gente nem as lê, mas eu adoro as dedicatórias de livros.

Mas não gosto dos simples 'para Fulano e Sicrano'. Não. Gosto quando os autores usam esse espaço para fazer uma declaração, uma gracinha, uma piada interna, textos engraçadinhos, cutes, enfim...


Algumas das minhas preferidas:



"Para Heather, Christian e Michael.
Nossa infância foi pura imaginação.
E para Justin. Obrigada por não ter escolhido a aula de culinária japonesa – Amo você."

(Becca Fitzpatrick — Sussurro)


"Para minha irmã mais velha, Emily, sem cujo entusiasmo esta história ainda estaria inacabada."
(Stephenie Meyer — Crepúsculo)



"Este livro é dedicado aos amigos Rubem Fonseca, Fernando Morais e Hilton Marques, que tiveram a paciência e o carinho de ler antes.
E à Flávia, que leu antes ainda, por cima do meu ombro"
(Jô Soares — O Xangô de Baker Street)



"For Jessica, Carrie and Jamie, who have eaten a lot of frozen pizza so mom could write / Para Jessica, Carrie e Jamie, que comeram muita pizza congelada para que a mamãe pudesse escrever" *
(Rachel Gibson — Simply Irresistible)




"To my father, Eddie Charles, — the only man I know
who can keep tabs on games on two television sets, monitor
a third on the radio, and do a crossword puzzle, all at the
same time — who gifted me with his passion for all sports.
I love you, Dad. / Para o meu pai, Eddie
Charles, — o único homem que eu conheço que consegue prestar atenção nos jogos em dois televisores, acompanhar um terceiro no rádio, e fazer palavra cruzada, tudo ao mesmo tempo — quem me presenteou com sua paixão por todos os esportes.
Eu te amo, Papai." *
(Kasey Michaels — Be My Baby Tonight)



"Para Tabby, que nisto me enrolou e depois me
safou."
(Stephen King — Carrie)



"Para H, de quem não guardo segredos.
Bem, pelo menos não muitos."
(Sophie Kinsella — O Segredo de Emma Corrigan)



"A Maddy – por sempre me mostrar o caminho, e além disso me deixar acompanhá-la."
(Gemma Townley — Quando em Roma...) **


"Para Elissa Harris,
que sempre sabe o que eu quero dizer e me deixa chamá-la de mamãe."
(Sarah Mlynowski — Temporada de Caça: Aberta)



"Para Patrick John Riordan,
o melhor contador de histórias da família"
(Rick Riordan — Percy Jackson e Os Olimpianos 2: O
Mar de Monstros)



* Traduções Livres
** Gemma Townley é irmã da também escritora Sophie Kinsella, que na verdade é um pseudônimo, sendo seu nome verdadeiro Madeleine Wickham, ou simplesmente, Maddy.


***

8 de outubro de 2010

'Estrela Píer - Kamila Denlescki'







Estrela Píer

Kamila Denlescki







Lucia Píer Eli era uma simples e desastrada bibliotecária em São Paulo, cidade onde morava com a avó e a irmã adotiva. Seus pais haviam partido quando ela ainda era criança, mas ela sempre teve a forte presença de Marisa, sua avó, por perto. A vida de Lucia era bem monótona. O que ela tinha de melhor era a possibilidade de trabalhar rodeada pelos livros que ela adorava. Em um desastroso encontro com Carlos e seu hálito de bife acebolado, ele a leva ao cinema e, apesar das péssimas recordações que o cinema lhe trás, Lucia se viu encantada pelo filme e principalmente pelo ator principal, Richard Clevehouse. Alguma coisa nele mexia com ela.

Inscrita sem saber, Lucia ganha uma promoção cujo prêmio era nada menos que uma viagem à Londres e um jantar com Richard Clevehouse!! E lá vai ela para a Inglaterra. Ao chegar em Londres, tudo parece um sonho, o Big Ben, a London Eye, o maravilhoso hotel, a equipe de pessoas a ajudando a se arrumar para o grande encontro... Mas ela está certa de que todo esse sonho vai acabar e ela vai voltar à sua rotina tranqüila (chata? oi?), sozinha na biblioteca onde trabalha. Ela não podia estar mais enganada. Lucia entra no restaurante e vê Richard pela primeira vez e fica trêmula com aquele homem alto, de sorriso sedutor, hálito de hortelã e cabelo bagunçado. E o principal, um gentleman. A partir daí nada é como Lucia imaginava. Ela não imaginava o perigo que a esperava, o grande segredo que estava prestes a descobrir, as perseguições, as dúvidas...

E Lucia não demora muito para perceber que Londres seria pacata demais sem Richard Clevehouse.

Esse livro é tão bom!! Eu gostei demais!! Sério, é melhor do que eu esperava. Tem romance, tem ação, tem mistério, tem... É surpreendente. Já tinha lido algumas resenhas, me interessei pelo enredo, mas em nenhum lugar contaram ou sequer deram uma pista sobre o que realmente é a história. Juro que não esperava. Tinha milhares de teorias, mas nenhuma delas chegou nem perto. Não me entendam mal, eu adorei isso. Num mundo cheio de spoilers eu consegui me surpreender totalmente com o desenvolvimento de um livro. Os acontecimentos são completamente inesperados. E claro, não vou ser eu que vou contar o que é. Sinto muito, mas vocês terão que ler. Alguns pontos ficaram em aberto, mas como eu soube que terá uma continuação, isso não me preocupou. Na verdade, me deixou mais ansiosa.

Super me identifiquei com a Lucia, não pela paixão por um ator inglês nem nada disso (apesar de eu ter uma queda pelo sotaque britânico), mas porque ela tem a mesma mania que eu de pular para o final do livro antes de terminar. Mas o motivo dela é mais digno. O meu é porque sou curiosa mesmo.

Esse é o primeiro livro da paulista Kamila Denlescki, e fiquei encantada com a narrativa dela e como os fatos são desvendados aos poucos, mas não sentimos que a autora está nos enrolando. Na verdade estou cada vez mais feliz com os livros nacionais que venho lendo.

Alguns fatos engraçados:

Fun fact #1: Além da dedicatória muito fofa que a autora fez pra mim, a data dessa dedicatória foi exatamente o dia do meu aniversário, o que eu adorei, claro!!
Fun fact #2: Apesar de ter visto a capa desse livro diversas vezes, sempre achei que era apenas um coração estilizado. Só depois de começar a leitura é que percebi que dentro do coração está a silhueta de um casal. É, sou lerda assim... rss

Dica final: fiquem longe das ampulhetas!!



Mais informações sobre o livro, curiosidades como fotos dos locais que inspiraram algumas passagens do livro no http://estrelapier.blogspot.com/

Vou deixar o book trailer e digo que o vídeo fica mais legal depois de ler o livro!




- Um agradecimento especial à autora por ceder esse livro para análise.


***

4 de outubro de 2010

*Série 'Irmãos Chandler' - Carly Phillips*



Série Irmãos Chandler
(Chandler Brothers Series)
Carly Phillips



Descobri a americana Carly Phillips pelo livro ‘O Solteirão’ (The Bachelor) lançado pelo selo Essência da editora Planeta. Foi então que eu conheci os irmãos Chandler, e foi impossível não me deixar envolver por eles. Juro que não sei qual meu preferido, se o Roman, o Rick ou o Chase. Realmente não consigo escolher, não me pressionem, eu quero os três! rs. Primeiro me encantei pelo Roman, o caçula e protagonista de ‘O Solteirão’. Depois conheci o Rick, o irmão do meio, cuja história em que ele é protagonista foi finalmente traduzida e lançada por aqui agora em 2010, ‘O Bom Partido’ (The Playboy). Por fim, sem conseguir me conter e esperar até que ele chegasse no Brasil, me deixei envolver pelo Chase, o irmão mais velho, protagonista de ‘The Heartbreaker’.

Em O Solteirão, a premissa da série se estabelece – Raina Chandler só queria uma coisa da vida: que seus três filhos, Chase, Rick e Roman encontrassem boas mulheres, se casassem e lhe dessem netos. Mas nada disso está nos planos dos irmãos que, lindos, bem sucedidos, charmosos e extremamente cobiçados, não pensam em se comprometer com ninguém. Até que Raina suspeita que está tendo um infarto e vai parar no hospital. Na verdade o que ela teve foi uma simples indigestão, mas seus filhos não sabem disso, o que lhe dá uma ideia: fazendo-se de gravemente doente, como um ‘último pedido’, pede aos filhos exatamente que se casem e lhe dêem netos! Os filhos, muito devotados à mãe e assustados com sua doença, decidem que um deles realizará o desejo dela. Qual deles o fará é decidido no cara ou coroa, e sobra para o caçula, o correspondente internacional Roman, a tarefa. Coincidentemente, nessa volta à cidade para visitar sua mãe ele reencontra Charlotte, um grande amor do passado, mas será que ela está interessada no tipo de relacionamento que ele está disposto a oferecer?

Em O Bom Partido, é a vez do policial Rick, que está constantemente fugindo das mulheres que sua mãe tenta lhe empurrar, tanto que ao ver uma mulher vestida de noiva parada na estrada com um carro quebrado, claro que ele pensa que isso faz parte da campanha de sua mãe para casá-lo. Só que apesar da aparência, a última coisa que Kendall quer é se casar. Os dois, cada um em busca de um interesse, como uma troca de favores, iniciam um relacionamento fictício. Mas, o que acontece quando um deles percebe que quer que a farsa se torne realidade?

Terminando a trilogia, em The Heartbreaker, temos a história do jornalista Chase, o mais velho, que depois da morte do pai sacrificou todos os seus sonhos ao assumir o jornal da família e a responsabilidade por sua mãe e irmãos. Decidido a buscar ao menos um de seus sonhos, ele vai à Capital em busca de uma grande notícia. Lá conhece Sloane, e se vê envolvido em um grande escândalo político, e com uma mulher que mexe com sua cabeça mais do que deveria.

Agora espero o lançamento brasileiro do último livro da série, apesar de já o ter lido, porque não basta ler em inglês, tem que reler em português e ter o livro com as bonitinhas capas brasileiras (aliás, beeeeem melhores que as originais).

Mas ó, sem desmerecer os charmosos irmãos, um dos melhores personagens da série é a mãe deles, Dona Raina Chandler, que monta toda a confusão ao se fingir de doente...


— Chandler Brothers, #1: The Bachelor (O Solteirão) – Roman Chandler e Charlotte Bronson
— Chandler Brothers, #2: The Playboy (O Bom Partido) – Rick Chandler e Kendall Sutton
— Chandler Brothers, #3: The Heartbreaker (sem tradução no Brasil) – Chase Chandler e Sloane Carlisle



***

3 de outubro de 2010

Músicas que não me saem da cabeça: 'Kings of Leon - Use Somebody'

Simplesmente porque é boa demais!!!



I've been roaming around
Always looking down at all I see
Painted faces, fill the places I can't reach

You know that I could use somebody (2x)

Someone like you, and all you know, and how you speak
Countless lovers under cover of the street

You know that I could use somebody (2x)
Someone like you

Off in the night, while you live it up, I'm off to sleep
Waging wars to shake the poet and the beat
I hope it's gonna make you notice (2x)

Someone like me (2x)
Someone like me, somebody

I'm ready now (7x)

Someone like you, somebody (3x)

I've been roaming around,
Always looking down at all I see




***

29 de setembro de 2010

'Baby Proof - Emily Giffin'







Baby Proof

Emily Giffin







Ao chegar aos 30 anos, Claudia estava quase conformada de que terminaria seus dias sozinha, decidindo então se dedicar exclusivamente a seu trabalho, editando os livros que tanto amava. Achava que ficaria solteira e sozinha para sempre por conta de uma decisão que ela tomou muito cedo na vida, e que acabava ameaçando todo relacionamento amoroso que ela teve, sendo um verdadeiro empecilho para o futuro de todas as suas relações amorosas: Claudia não queria ter filhos. Nunca. E no final das contas, ela descobriu, os homens queriam alguém que lhes desse filhos. Não que ela não gostasse de criança, ela amava os sobrinhos, mas simplesmente não queria ter filhos próprios. Gostava de ser a 'Tia Claudia'. Então ela conheceu o Ben. O bonito, gentil e engraçado Ben. Ele parecia até bom demais pra ser verdade, e o melhor, também não queria saber de filhos. Era tão firme quanto ela nisso. Mas não era a única coisa em que eles combinavam. Eles se encaixavam em absolutamente tudo. Não demorou muito para eles ficarem completamente apaixonados um pelo outro e decidirem se casar. A vida era perfeita. Isso até o dia em que, após dois anos de casamento, o mais próximo casal de amigos deles anuncia que vão ter um filho. Não seria nada demais não fosse o fato de que Ben muda de ideia em algo essencial. Ele agora quer ter um filho, um que seja, e joga todos os argumentos ‘pró-filhos’ em cima de Claudia, argumentos esses que ele mesmo a ajudava a rebater, o que a faz se sentir traída. E o casamento perfeito começa a desmoronar. Ambos estão irredutíveis, Claudia em sua eterna posição e Ben em seu novo desejo de ser pai. As coisas chegam ao ponto de, no meio de uma noite, Claudia juntar suas coisas e ir para a casa de sua amiga Jess, com quem morava antes de conhecer Ben. Novamente sozinha, ela só consegue pensar em uma coisa: ‘o amor verdadeiro não deveria suportar qualquer obstáculo?’ Ben não deveria escolher ficar com ela e manter o combinado de não terem filhos? Ou será que ela deveria ter um filho, mesmo não querendo um, só para manter seu marido?

A autora americana Emily Giffin escreveu ao todo 5 livros, mas, infelizmente, só dois deles foram publicados no Brasil – O Noivo da Minha Melhor Amiga (resenha aqui) e Ame o que é seu. Gosto muito dos livros da Emily, tanto pela narrativa leve, gostosa de ler, quanto pelos temas que eles abordam. Tratam sempre de relacionamentos e são temas tão... possíveis. Nada muito mirabolante. Apaixonar-se pelo noivo da amiga; encontrar um ex e ficar em dúvida sobre o atual; até que pondo se está disposto a abrir mão de suas vontades e o que você faria, ou não, por amor, que é o caso desse livro. Como são contados em primeira pessoa, você tem o sentimento de que se trata de alguma amiga lhe contando a história. E, como acontece quando ouvimos as histórias das nossas amigas, nós temos vontade de xingar, aconselhar a não fazer isso ou aquilo, dar um puxão de orelha, desacreditar que elas tiveram mesmo coragem de dizer tal coisa, sentimos vergonha alheia de algumas atitudes etc.

Em alguns momentos tive vontade de dar um puxão de orelha na Claudia, afinal, o Ben é tão fofo!! Mas gostei muito da Claudia também e em vários momentos morri de pena dela. Já li quase todos os livros escritos pela Emily (exceto o último lançamento) e digo que esse foi o primeiro em que não desenvolvi “birra” de nenhum dos personagens. No último livro que tinha lido dela, o Ame o que é seu, eu fiquei perigosamente perto de jogar o livro longe de tanto que a protagonista me irritou. Nesse não. Eu entendi o porque a Claudia fazia isso ou aquilo, nem sempre concordava, mas entendia os motivos dela. Tá bom, em um determinado ponto queria gritar pra ela não fazer o que ela estava a ponto de fazer, que seria uma besteira e que o..., enfim, ela fez de qualquer jeito e eu fiquei com vontade de gritar um grande I TOLD YOU SO quando aconteceu exatamente o que eu previ (é.. eu interajo com os personagens, não me julguem!).

Enquanto a protagonista analisa sua vida, suas escolhas, conhecemos um pouco mais sobre ela, e descobrimos o verdadeiro motivo pelo qual ela não quer ter filhos. Não o motivo que ela conta para todo mundo, mas o verdadeiro. Na verdade, descobrimos até mesmo antes dela mesma reconhecer. Nesse meio tempo conhecemos a complicada família da Claudia, seus pais divorciados, o novo marido de sua mãe, suas irmãs mais velhas, Maura, casada com o infiel Scott, com quem tem 3 filhos, e Daphne, casada com Tony, que tenta engravidar desesperadamente e não consegue. Para completar temos Jess, a melhor amiga de Claudia, praticamente uma irmã para ela, mas que é a pior pessoa no mundo para dar conselhos sobre relacionamentos já que ela mesma sempre se envolve com os tipos errados, e Michael, o melhor amigo que ela tem no trabalho. Claro, todos se metem na vida dela insistentemente.

Dentre os personagens secundários a minha favorita é a Zoe, a sobrinha de 6 anos da Claudia, filha da sua irmã Maura que, no alto de sua inocência, sempre faz as perguntas certas e mais profundas.

Outro ponto alto, ao menos para quem é apaixonado por livros, é o fato de a protagonista ser uma editora, então ela está sempre rodeada de manuscritos, querendo descobrir e lançar novos talentos literários, e é bem interessante ver a dinâmica por trás da publicação de um livro, da escolha do que será publicado ou não, mesmo que isso só tenha sido mostrado de passagem.

Apesar de o assunto sério, a história e bem leve e é muito divertido. Diversas vezes não consegui segurar as risadas. Mas também tem as partes emocionantes... fiquei tão angustiada em um momento que confesso que fui dar uma espiada no final do livro, não aguentei. Enfim, só lendo pra saber. Gostaria muito, muito mesmo, de ver esse livro no Brasil, assim como todos os livros da Emily!!!



***