Meus Discos e Livros e Tudo o Mais!: 'Too Good to be True - Kristan Higgins'

17 de outubro de 2011

'Too Good to be True - Kristan Higgins'








Too Good to be True

Kristan Higgins







Seu noivo te largar três semanas antes do casamento já é ruim o suficiente. Imagina se ele faz isso porque se apaixonou por outra pessoa? E se essa pessoa é a sua irmã caçula, que, claro, para piorar a situação, também se apaixonou por ele? Pois isso foi o que aconteceu com Grace Emerson. Agora seu ex-noivo e sua irmã caçula estão felizes, irritantemente apaixonados e todas as pessoas que a conhecem a olham com pena, como se ela fosse a coitadinha abandonada. O lógico seria odiar os dois, certo? Mas como odiar Natalie, sua irmãzinha, aquela que, desde que os pais a trouxeram para casa do hospital, quando Grace tinha 4 anos, ela acredita que foi um presente para ela? A irmãzinha que ela sempre adorou e protegeu? Não é uma opção. Então, quando Natalie começa a se sentir culpada (oi? Ela está namorando o ex-noivo da irmã), Grace é capaz de tudo para que a irmã não sofra. Inclusive inventar um namorado que não existe só para que Natalie possa se sentir melhor – e claro, acabar com os olhares de piedade para o seu lado.


E foi assim que surgiu Wyatt Dunn, um cirurgião pediátrico, lindo, gentil, atencioso, e que existe apenas na cabeça de Grace. O namorado imaginário lhe deixa em uma posição confortável já que agora todos acreditam que ela realmente superou o ex e que está mesmo feliz por sua irmã, mas também faz com que ela tenha que fazer malabarismo para evitar que sua família o “conheça”. Além de tudo isso, ela tem um vizinho novo, um que na primeira vez que o viu ela achou que estivesse arrombando a casa ao lado e o acertou com um taco de hockey. E não é que mesmo com o olho inchado e o rosto cheio dos hematomas que ela causou, ele é bem atraente? Mas não, algo do passado dele o torna o cara errado. Mas mesmo assim, Callahan O’ Shea, o Cal, não sai do seu pensamento, nem seu humor afiado, seu corpo perfeito e seu lindo rosto.


Esse divertido livro, escrito pela americana Kristan Higgins, ganhadora do RITA, Romance Writers of America (um importante prêmio americano para escritores de romance), é narrado em primeira pessoa pela Grace. Acompanhamos suas obsessões, suas dúvidas e, principalmente, suas confusões, sendo a invenção de um namorado imaginário apenas o começo. Além disso, Grace está rodeada de personagens dos mais diferentes tipos. Tem o melhor amigo gay, seu companheiro para sair para dançar e assistir Project Runnaway; uma amiga meio exagerada que sufoca os homens e assusta todos os com quem sai; uma irmã mais velha meio mal-humorada mas sempre sincera; uma irmã caçula super protegida por todos; uma mãe excêntrica que se descobriu artista, fazendo bizarras esculturas de partes do corpo feminino; um pai preocupado, que não se conforma por ela ter escolhido uma carreira que pague tão pouco; uma colega de trabalho piranha (juro que essa é a expressão que o livro usa), uma avó ranzinza, um cara gato de tirar o fôlego, um ex-noivo apático e covarde, além de um cachorrinho muito fofo. *Ufa!*


Grace é professora de História em uma importante escola preparatória. Ela é apaixonada pela História americana, sendo seu tema favorito a Guerra Civil, Guerra de Secessão Norte Americana, disputada entre os estados do Norte e do Sul. Todo primeiro dia de aula ela começa lendo a Declaração de Independência dos Estados Unidos, e ela inclusive faz parte de um grupo que reencena as principais batalhas da Guerra Civil (como o pai da protagonista do filme Doce Lar), paixão essa que ela herdou do seu pai, um pacífico advogado que, nas horas vagas, gosta de fingir ser um dos importantes generais e gritar ordens, manejar canhões e baionetas como se estivesse realmente em um campo de batalha. Ela é a irmã do meio e sempre se sentiu como o patinho feio. Suas irmãs são extremamente lindas, Margaret um tipo de Nicole Kidman, Natalie praticamente a Cinderela. E ela? Ela se parecia com a bisavó russa – e não, isso não era uma coisa boa –, com seu cabelo crespo que nunca a obedecia.


Pelos olhos da Grace acompanhamos o conturbado casamento dos pais dela, a crise no casamento de sua irmã mais velha, a evolução no relacionamento de sua irmã caçula e seu ex-noivo (não por opção dela), além de acompanhá-la nas visitas que ela faz à casa de repouso onde sua avó mora e também à suas aulas de História, e as vezes em que ela involuntariamente - ou não - bisbilhota o vizinho (principalmente se ele está sem camisa no jardim). As partes em que Grace lembrava como era seu relacionamento com Andrew, como acabou e como ele começou a namorar a irmã dela foram um tanto entediantes. Talvez porque eu realmente não estava muito interessada em saber isso, queria ir logo para as confusões causadas pelo namorado imaginário e, é claro, passei todo o tempo ansiando pelas aparições do Cal *momento periguete literária*. O bom é que essas lembranças do passado não duram muito e eu pude ir para o que interessava.


Quando eu gosto de um livro eu o leio várias vezes, sem problema, aproveitando a leitura como se fosse a primeira, mas tenho muito chão pela frente se quiser alcançar Grace e seu livro preferido: E o Vento Levou, que ela leu 14 vezes!!! Não é a toa que ela considera Scarlett O’Hara, a personagem principal naquele livro, sua melhor amiga. Até me senti mal por nunca ter lido o livro, mas pelo menos vi o filme – apesar de ter certeza que não é a mesma coisa.


Enfim, um livro divertido, um romance fofo com um cara de tirar o fôlego – já contei que o Cal é de tirar o fôlego e eu fiquei apaixonada por ele? Pois é –, uma protagonista dedicada aos seus alunos, seus amigos, à família, família essa bem intrometida, e tudo isso me fez querer ler outros livros da autora. Ah, como eu adoro descobrir autores novos e entrar na neurose de querer todos os livros escritos por eles... rs



***

10 comentários:

Estante Seletiva disse...

Oi gente, tudo bem?

Vocês gostariam de fazer parceria com o blog Estante Seletiva no sorteio de um livro? Já estou com o exemplar.

*Responde lá no blog!*
http://estanteseletiva.blogspot.com/

Att,
Wanessa Guimarães

Luana Farias disse...

Nossa adorei o tema do livro apesar de que irmã hein??? Nem precisa de inimiga assim minha filha.

Bjs

Niii disse...

adorei!
mas tipo ele não é de verdade? só fica na imaginação!?
=x

bjos

leitoracompulsiva disse...

Putz,
Enquanto lia a sua resenha não conseguia parar de lembrar de um filme, onde o cara abandona a noiva para ficar com a irmã caçula dela! Só que no filme, os dois não dão certo, a irmã vai se casar com outro cara e ela contrata um "namorado de aluguel" para ir com ela no casamento da irmã, justamente para que as pessoas parem de olhá-la como coitadinha!! Só que quem disse que eu lembro o nome desse filme???
Beijos
Camila - Leitora Compulsiva

Sanzinha disse...

OI, Cá!

Caramba, que resenha!
Esse livro deve ser ótimo mesmo!
Já anotei o nome aqui, vou procurar pra trocar no Skoob, pq comprar agora tá difícil.
Adorei a fica.

Beijão!

Lu disse...

ei Cacá,
amei a resenha e já estou doida para conhecer o Cal também, rsrsrs.
Aii, quero ler, tem em ebook traduzido? adoraria ler. ^^
beijos.

Nanda disse...

Ei Cacá,

Amei a resenha, eu querooo.
Será que lançam aqui? O ruim de resenha internacional é que fico louca querendo e não tem rsrsrs, ate pq não gosto de ebook.

bjos
Nanda

Cacá SS disse...

Luana,
Pois é, já pensou?! rs
Mas a irmã não é tão má assim, só um tanto egoista e mimada, mas nem sentimos tanta raiva assim dela...rs


Niii,
O Wyatt vive só na imaginação da Grace, mas o Cal *suspira*, esse é de verdade!!! hihi


Camis,
Acho que sei que filme você está falando, mas também não me lembro o nome =X hahahaha


San,
É sim ótimo, eu adorei! Se tiver chance, leia mesmo!!


Lu,
O Cal é tudo de bom!!! *_*
Poxa, não sei te dizer se tem ebook traduzido dele...


Nanda,
Gostaria demais que lançassem livros dessa autora por aqui. Acabei lendo outros dela e me apaixonei. Acho que as editoras aqui estão perdendo tempo de não publica-lá, hahaha

Beijos

Daniela Tiemi disse...

Wow! Adorei! Quero ler!
Vou colocar o livro na lista de desejados.
Eu ainda não li nem assisti "O vento levou...", rsrs. #shameonme
Ui, quero me apaixonar pelo Cal tb! =0)
Bjo.

Cacá SS disse...

Daniela,
Você sem dúvida vai se apaixonar pelo Cal! *_*
Se puder ler o livro, leia sim, eu recomendo!
E se gosta do estilo, assista "E o Vento Levou..." Scarlett "nunca-mais-passarei-fome-novamente" O'Hara!!! rs
Beijos