Meus Discos e Livros e Tudo o Mais!: *Série ‘Os Spellman’ – Lisa Lutz*

7 de novembro de 2011

*Série ‘Os Spellman’ – Lisa Lutz*




Os “Spellman”
(The Spellmans)
Lisa Lutz



Passei 2 semanas – ou 4 livros seguidos – com essa família e garanto, é uma das mais excêntricas e divertidas famílias literárias que já conheci e agora que terminei de ler os livros já lançados da série (que foram devorados como se não houvesse amanhã) vou sentir uma falta imensa deles.

A primeira coisa que preciso dizer é que eles se amam imensamente e é o que justifica todos os atos de cada um deles. Meio que um “a gente só se intromete na vida de quem se ama”. Outra coisa que preciso contar é que eles são uma família de detetives particulares que gosta muito de levar o trabalho para a casa e acreditam que a privacidade é algo superestimado, algo que nem todos têm direito.

Mamãe e Papai Spellman, Olivia e Albert, se conheceram quando Albert começou a trabalhar como detetive particular, logo após ser obrigado a se aposentar da polícia por um problema na coluna, enquanto ela fazia uma investigação amadora, seguindo o noivo da irmã. Os dois se casaram em seguida, juntos fundaram a “Spellman Investigations” e tiveram 3 filhos.

David, o mais velho, sempre foi o garoto modelo, o filho perfeito, estudante de honra, formado com louvor, aquele com quem os pais nunca precisaram se preocupar. Trabalhou para os pais, mas apenas até os 16 anos, acreditando que estudar seria mais importante e que as pessoas têm sim direito à privacidade. Tornou-se um importante advogado, mantendo sempre a postura de “exemplo de perfeição”. Extremamente bonito, sua única falha de caráter, a princípio, seria o fato de partir vários corações, já que não está pronto para se comprometer.

Isabel, Izzy, a segunda filha, é o oposto de David. A garota problema, sempre metida em encrenca, segundo ela, para equilibrar as coisas na casa dos Spellman, que tinham um filho perfeito demais. Durante toda a adolescência Isabel bebia demais, farreava demais, praticava vandalismo demais, saia com os caras errados e sempre deu dor de cabeça a seus pais. Trabalha para eles desde os 12 anos e começou pelo básico, revirando lixo alheio, observando à distância com seu binóculo, seguindo pessoas aqui e ali... já como adulta, continuou seguindo a profissão da família, tornando-se uma detetive particular licenciada, mas não deixou de ser a filha problema. Digamos que apenas melhorou um pouco. Seus dias de vandalismo ficaram para trás – mais ou menos – mas continua bebendo demais e saindo com os caras errados. E preferindo entrar pela janela que usar a porta da casa. A lista de namorados que ela já teve é um capítulo à parte. E sim, existe uma lista. Como seus relatórios de investigação, há um sobre seus ex-namorados, numerando-os, incluindo seus dados básicos e arquivando assim que o relacionamento acaba.

Para acabar com o dito “equilíbrio” entre os filhos, chegou Rae, a caçula, que nasceu quando seus irmãos já eram adolescentes. É a mais precoce dos Spellman e a mais apaixonada pelo mundo das investigações. Sua primeira missão foi quando ela tinha apenas 6 anos. Aos 14, quando a história da série começa, Rae está completamente acostumada a esse mundo em que cresceu, um mundo em que é mais que natural ouvir atrás das portas, seguir pessoas para saber o que elas estão fazendo, chantagear seus irmãos e manipular toda a família para que façam tudo o que ela quer. Ela aprendeu desde cedo que tudo pode ser negociado e sequer escova os dentes ou toma banho sem negociar algum outro benefício. E conforme ela vai ficando mais velha as confusões que apronta só pioram. Quando ela começa a aprender a dirigir então...

Toda a história é narrada pela Isabel, a irmã do meio, então ela é quem conhecemos melhor. Mas, em razão da mania dela de investigar a tudo e a todos e querer saber todos os segredos mais profundos de quem a rodeia, posso dizer que conhecemos bastante todos os membros da família.

Como eu disse, todos se amam muito, se preocupam uns com os outros, mas quando algo parece errado, ao invés de perguntarem o que há, uma grande investigação começa, com direito a escuta de telefone, perseguições em alta velocidade, suborno, manipulação, interrogatório, chantagem. Não se pode esperar muito de uma família que tem um estatuto para tentar controlar a empresa de investigação e a própria família, com regras próprias e únicas, como estipular o dia em que ninguém pode falar e toda a comunicação se dá por mensagens e bilhetes, por exemplo, ou a obrigação de um certo número de vezes em que uma investigação deve ser feita obrigatoriamente com disfarces.

Aprendemos com a Isabel que se sua própria mãe te chantageia, se intromete na sua vida, te segue para todos os lugares e coloca escutas no seu telefone, e seu pai mantem uma "sala de interrogatório" desde que você é criança, você tem um problema.

Isabel sofre com seus pais intrometidos, seu irmão perfeito que está sempre guardando algum segredo – que ela simplesmente precisa descobrir – sua irmã pentelha e manipuladora, e sua obsessão quando uma investigação começa, não conseguindo desistir dela nem mesmo se o cliente desiste. Acompanhamos alguns anos dessa família com o decorrer da série, e vemos por exemplo, como Mamãe Spellman adquire uma mania de querer que todas as conversas importantes sejam gravadas. Então sempre temos “transcrições” dos diálogos mais importantes – ou apenas de conversas durante consultas com o dentista, um advogado, terapeuta ou com o Henry (apesar de ele odiar! rs). Por falar do Henry, ele é um dos ‘agregados’ da família, um policial que conhecemos no primeiro livro, que ajuda em uma importante investigação e nos demais livros ganha bastante espaço. A falta de paciência dele com as excentricidades dos Spellman – principalmente Rae e Isabel – é uma das coisas mais divertidas da série.





O primeiro livro dessa série, o “The Spellman Files”, foi lançado no Brasil com o título “A Família Spellman”. O meu lamento é ainda não termos os demais livros por aqui – o primeiro nem é o melhor da série. Na verdade, é o mais fraquinho.




Uma boa notícia é que em breve será lançado o quinto livro da série, e eu já estou morrendo de curiosidade para saber como estará a vida deles depois de tudo o que acontece no quarto livro!!





The Spellmans, #1 – The Spellman Files
The Spellmans, #2 – Curse of the Spellmans
The Spellmans, #3 – Revenge of the Spellmans
The Spellmans, #4 – The Spellmans Strike Again
The Spellmans, #5 – Trail of the Spellmans
(Lançamento previsto para 2012)



***

8 comentários:

Niii disse...

adoreiii a resenha e ficou como dica pra mim já que não conhecia!
adorei o plot!!!!!! *_*
por qual editora saiu o primeiro?

bj

disse...

Nunca tinha ouvido falar dessa série e fiquei muito curiosa com a resenha! Pena que não leio em inglês, viu ): Brasil demora pra lançar as continuações de séries, né? Beijos.

Lariane disse...

Quando vi que era em inglês pulei... não leio em inglês :X

hehehehehe


Beijo,
Lariane - www.leiturasedevaneios.com.br

Cacá SS disse...

Niii,
Eu recomendo, gostei bastante - mas ressalto que o primeiro livro não é o melhor, não desanime com ele, rss
A versão nacional saiu pelo selo ARX da Saraiva ;D
Beijos


Ná,
Infelizmente, as sequências de alguns livros demoram muito mesmo para serem lançadas por aqui, isso quando são. Uma pena.
Beijos


Lari,
rss, eu entendo. Mas o primeiro livro foi lançado em português =D
Não é o melhor, mas... rs
Beijos

danamartins disse...

nunca tinha ouvido falar, mas me surpreendeu. sabe como é, às vezes é bom encontrar algo diferente do que eu costumo ler.
me fez lembrar um pouco Os Feiticeiros de Waverly Place HUAH
e são livros independentes, né?

Cacá SS disse...

Dana,
Ih, não sei te dizer se realmente lembra Os Feiticeiros de Waverly Place...
Mas não são livros independentes não; pra entender o por quê de algumas coisas e manter a graça, tem que ter lido os livros anteriores ;D
Beijos

Mariana disse...

Achei o enredo bem diferente, parece ser uma leitura gostosa e divertida!

Mas que coisa essa perda de privacidade hein!?! rsrsrsrs

Bjs
Mari
Psychobooks

Cacá SS disse...

Oi Mari,
Eu gostei bastante e me diverti horrores com essa família que simplesmente não respeita a privacidade uns dos outros, rss
Beijos