Meus Discos e Livros e Tudo o Mais!: Primeiras Linhas #8

18 de novembro de 2011

Primeiras Linhas #8

Essa é uma coluna em que eu trago as primeiras linhas, as primeiras frases de um livro qualquer.



As "Primeiras linhas" da vez são de um livro que eu amo e que estou com vontade de reler desde que assisti o filme baseado nele, O Noivo da Minha Melhor Amiga, da Emily Giffin. Amo tanto que já li, reli, li mais uma vez, fiz resenha dele aqui no blog, escrevi sobre ele na minha coluna no Subtítulo e agora estou novamente falando dele por aqui! \o/





"Eu estava na 5ª série quando pensei pela primeira vez sobre fazer trinta anos. Um dia, eu e minha melhor amiga Darcy pegamos uma agenda e abrimos no final, onde havia um calendário perpétuo que permitia consultar qualquer data no futuro e, por meio de uma pequena tabela, determinar qual seria o dia da semana correspondente. Então localizamos nossos aniversários do ano seguinte, o meu em maio e o dela em setembro. O meu caía na quarta, uma noite de aula. O dela caía na sexta. Uma vitória pequena, mas típica. Darcy era sempre a mais sortuda. Sua pele se bronzeava mais rápido, seu cabelo era mais fácil de modelar e ela não precisava de aparelho nos dentes. Ela fazia passos de break como ninguém, assim como dava estrelas e cambalhotas para frente (eu nem mesmo sabia dar cambalhotas). Tinha a melhor coleção de adesivos. Mais bótons do Michael Jackson. Suéteres Forenza em turquesa, vermelho e pêssego (minha mãe não me deixava ter nenhuma — dizia que eram modismos e muito caras). Tinha também um jeans de cinqüenta dólares da Guess, com zíperes na lateral do tornozelo, além de dois furos em cada orelha e um irmão, o que era melhor do que ser filha única como eu.

Pelo menos eu era alguns meses mais velha e ela nunca poderia me alcançar. Foi aí que decidi checar meu trigésimo aniversário — num ano tão distante que soava como ficção científica. Caía num domingo, o que significava que meu marido boa-pinta e eu providenciaríamos uma babá responsável para os nossos dois (possivelmente três) filhos na noite de sábado, jantaríamos num sofisticado restaurante francês com guardanapos de pano e ficaríamos fora até depois da meia-noite, de forma que, tecnicamente, estaríamos celebrando na data real do meu aniversário. Eu teria acabado de ganhar uma grande causa, de provar a inocência de um homem da cidade. E meu marido faria um brinde em minha homenagem: "À Rachel, minha linda esposa, mãe dos meus filhos e a melhor advogada da cidade." Compartilhava minha fantasia com Darcy quando descobrimos que seu trigésimo aniversário caía numa terça-feira. Uma decepção para ela. Observei enquanto ela apertava os lábios processando a informação.

— Você sabe como é, Rachel, quem se importa com o dia da semana em que cai o aniversário de trinta anos? — ela disse, sacudindo os ombros macios e bronzeados. — Até lá nós já estaremos velhas. Os aniversários não importam quando a gente fica velha."


***

7 comentários:

Mariana disse...

Então, como eu li Questões do Coração, acabei 'pegando' alguns spoilers de O Noivo da minha Melhor amiga e eu ODEIO spoiler, agora não sei se vou ler esse livro =/

Bjs
Mari
Psychobooks

Fabi disse...

Oi Cacá
Foi só depois que eu assisti o filme que eu fiquei sabendo que ele foi baseado num livro. É que eu prefiro ler o livro primeiro pra depois assistir.
Mas, e aí?? Hollywood foi fiel ou vez besteira??
Bjs

Cacá SS disse...

Mari,
Eu soube que o Questões do Coração trás alguns dos personagens desse livro, mas como ainda não o li não sei o quanto ele entrega da história. Mas eu sei como é, também gosto de ler tudo na ordem certinha, e sem saber o que esperar... =D
Beijos


Fabi,
Também prefiro ler o livro antes de ver o filme, sempre!
No link que eu deixei da coluna no Subtítulo eu conto sobre as diferenças dos 2. No geral eu gostei do filme, estava até esperando que eles fizessem mais besteira. hehehe... Mas, como na maioria das vezes, o filme não mostra toda a profundidade que o livro tem. Mudaram uma coisinha aqui, outra ali, tiraram personagem, modificaram outros... O filme é divertido, mas eu ainda prefiro o livro ;D
Beijos

Nanda disse...

Ei Caca,

Eu tenho e ainda não li, na verdade não gostei tanto de Questões do coração e ainda não animei a ler outro dela.

Agora deixa eu ir lá ler a resenha de Spirit Bound O.O

bjos

Fabi disse...

Oops, eu não tinha percebido o link ^^;;
É, acho que livros me envolvem muito mais que os filmes.
No filme, eu não gostei muito do Dex (apesar do Collin ser LINDOOO) por causa das faltas de atitude dele. Já o Ethan me surpreendeu quando ele disse aquilo pra Rachel, por aquela eu não esperava, no livro é assim também??
Bjs

Cacá SS disse...

Nanda,
Ainda não li o Questões do Coração então não posso falar dele, mas li todos os outros da autora e pra mim 'O Noivo' é o melhor!
Beijos


Fabi,
Ih, a falta de atitude do Dex é característica do personagem. Foi uma das coisas que mais me deu raiva no livro. No filme ainda vemos um pouco o lado dele, com a história da mãe, mas isso não existe no livro e nem sabemos o que ele está pensando já que é narrado em primeira pessoa pela Rachel.
E eu fiquei perdida... não lembro o que foi que o Ethan fala para a Rachel, hahahaha. Ele fala tanta coisa pra ela, rs. Mas o Ethan do filme é uma junção de 2 personagens do livro, o próprio Ethan e a Hillary, outra amiga da Rachel. Pode ser que se não foi ele que disse no livro, foi ela, rs =D
Beijos

Fabi disse...

Quando o Dex ficava com a Rachele e continuava com a Darcy, eu só ficava xingando ele (hehe).
No começo do filme a Rachel perguntou pro Ethan se ele casaria com ela e ele disse que gostava muito dela pra fazer isso, antes dele ir pra Londres ele disse que realmente gostava dela. Por essa eu não esperava... ^^;;
Bjs